A vila de Lída Baarová - a linda atriz checa que amou Goebbles

Projeto do arquiteto Ladislav Žák

Esta vila luxuosa e inovadora, com o formato de um barco, é um projeto do arquiteto checo 
Ladislav Žák para a atriz Lída Baarová, considerada uma das mais belas mulheres da Europa na década de 30. 

Lida Baarová
Lída Baarová

Vi um filme sobre a atriz que foi muito defenestrada em seu país por ser considerada colaboradora do nazismo. Sua história começa no início dos anos 30 em Praga (Tchecoslováquia). Mulher belíssima com uma mãe ambiciosa que é levada para a Berlim, então no início do poder de Hitler. Uma vida cheia de luxos e prazeres até que se caí nas graças do todo poderoso ministro da propaganda Joseph Goebbels. Nada poderia parecer ser mais distante que a atração entre Lída e Goebbels. Tinha uma perna mais curta devida a uma deformidade congênita enquanto Lída era bela como poucas mulheres. Mas nada mais atraente que a união da beleza com o poder. Lída larga seu namorado de então, um belo ator pelo magnético político. A reflexão que se segue é se se pode amar criminosos sem responder por essas escolhas. É possível ficar de olhos vendados para uma realidade que se mostra cada dia mais odiosa e repressora? É possível levar uma vida de prazeres, sem perceber o que acontece em volta? Quando li a biografia de Eva Braun, senti as mesmas questões. Os que hoje apontamos como líderes genocidas, levavam vidas quase normais, com amores e vidas cheias de prazeres enquanto o mundo se destruía para muitas pessoas em volta (e nesse sentido vi também essa semana Anne Frank, vidas paralelas, que também recomendo). 

E a vila? 


Vila Lída Baarová

No auge da fama na Alemanha, já como amante fixa de Goebbels, a atriz encomenda ao arquiteto checo conhecido como expoente da arquitetura funcionalista checa, o projeto de uma casa para si e para sua família. Seu pai, sua mãe e sua irmã Zora Babková, também atriz, porém com menos fama. Lída morou pouco tempo nessa casa, que seria palco de uma tragédia familiar pouco anos após o fim da guerra.

A casa modernista, que começou a ser construída em 1937, refletia o sucesso da jovem atriz que protagonizava vários sucessos do cinema alemão nazista. Ladislav Žák projetou como uma casa funcional para que houvesse privacidade tanto para os pais como para as filhas, ou a própria Lída. A forma tanto da casa como dos elementos formais que a compõem se assemelham às de um barco, inclusive o terraço superior que lembra a ponte de um capitão e que é acessado pelo apartamento da atriz.

Todos os direitos reservados por Jan Malý
Interiores

Interiores

Banheiro

Vila de Lída Baarová



Atenção: SPOILER DO FILME - siga por sua conta e risco


Reforma

Fachada

Antes do fim da guerra porém, Lída foi afastada de Goebbels pelo próprio Hitler, que atendeu aos apelos da mulher do ministro, Magda Goebbels. Os apelos dos valores familiares, tão caros ao regime nazista, tinham que ser seguidos, pelo menos em aparência, pelos seus líderes. Perseguida na Alemanha, Lída volta ao seu país, faz filmes por outros locais, mas acaba sendo presa e julgada pelo seu relacionamento com o regime nazista. Sua família é perseguida, sua mãe morre em um interrogatório e sua irmã se suicida na vila, o que faz com que Líba nunca mais queira voltar para lá. A família acaba por ser expulsa no começo da década de 50, já no regime comunista na Tchecoslováquia. A vila fica então abandonada até 2005, quando o novo proprietário a reconstrói e hoje é considerada um monumento nacional no seu pais.       


fotos: 

Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros