MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Bio tijolo feito à base de urina humana

Tijolo feito de urina??? Este título me chamou a atenção neste artigo que li AQUI e fui ler com mais calma. Tenho o hábito de pesquisar novidades e novas tecnologias no campo da construção e arquitetura e gosto de compartilhar com que me lê.
Dr. Dyllon Randall e seus alunos, Vukheta Mukhari e Suzanne Lambert


Alunos sul africanos, sob orientação do pesquisador Dr Dyllon Randall da Universidade da Cidade do Cabo desenvolveram um tijolo inovador que mistura areia, bactérias e urina humana.

Segundo os pesquisadores, quando se mistura a urina com as areias e bactérias, a reação química produz carbonato de cálcio. Este processo é análogo ao da formação dos corais nos oceanos.

Um processo de fabricação que reutiliza um resíduo humano (cerca de 25 a 30 litros de urina coletada em banheiros públicos para cada tijolo), que é usada primeiramente para produzir um fertilizante sólido. O liquido que resta passa pelo processo onde as bactérias, através da produção de uma enzima, separam a ureia da urina, formando então o carbonato de cálcio. Este faz com que a areia se solidifique, formando tijolos bastante duros que não necessitam de queima, e que são feitos na temperatura ambiente. 

O odor forte da amônia é um dos senões, mas segundo os pesquisadores, ele acaba em 48 horas.
Pesquisas abrem novos olhares para possibilidades que podem solucionar problemas de moradia e de acesso à materiais. Se vamos construir com nossos próprios resíduos, só o futuro dirá, mas abrir a porta aos aproveitamentos de sobras consideradas nada nobres, pode mudar conceitos e fazer do excremento uma nova possibilidade a ser explorada.

Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros