MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Habitar - um pensamento humano de Juhani Pallasmaa

Ler Juhani Pallasmaa é me reencontrar com a essência do que considero Arquitetura. No seu livro Habitar este arquiteto finlandês reafirma sua visão centrada no ser humano. Através de uma síntese de cinco ensaios seus, ele nos fala, de forma apaixonada e amigável, sobre o espaço que se habita, o senso da cidade, o tempo, o sentir, o pertencer.       

Ele começa falando que em sua arquitetura projeta apenas casas. Não no sentido estrito da função, mas porque "o ato de habitar é o modo básico de alguém se relacionar com o mundo". E passa a nos relatar o quanto essa relação com a casa primeira forma nosso senso de pertencimento, nossa maneira de interação com a realidade que nos cerca. 

Impossível passar impune pela leitura de seus livros que, aliás, são altamente recomendáveis para arquitetos e usuários. E exatamente porque além dos papéis que exercemos na vida, somos pessoas que sentem, que percebem através dos sentidos, pessoas que habitam espaços que são mais que meras esculturas. E essa vivencia do espaço é altamente transformadora em nossas vidas.

Arquitetura instiga. Seja no espaço privado restrito ao lar. Seja no espaço mais amplo das cidades, seja visto pela dimensão do tempo, seja pela percepção do sentimento.



Dois pequenos trechos dos muitos que me tocaram e que sublinhei. Sim, eu sublinho e escrevo em livros, é minha forma de interação com as palavras. Um livro que me toca não passa impune por minhas mãos. Espero que os espaços que projeto também mexam com as pessoas que por eles passem. E nessa troca façam acontecer a verdadeira arquitetura que emerge dos sentidos, da percepção e da poética da vida.  

Uma leitura para momentos de descanso. Não corra por este livro, deguste-o com calma e reflexão. É uma leitura que deve entrar pelos poros, pela mente e coração.  


Leia também AQUI uma entrevista de Juhani sobre o resgate do elemento erótico na arquitetura


HABITAR - Juhani Pallasmaa
Imagens: Divulgação



Gostou? Tem alguma sugestão? 


Comenta e conta para a gente a sua opinião. 
Nos siga também nas redes sociais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros