MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Como Smartphones e tablets influenciam os espaços hoje

Os espaços das casas da gente vão mudando de acordo com o estilo de vida. Passamos de grandes e compartimentados ambientes para pequenos e cada vez mais divididos apertamentos. De tanto viver enclausurados acabamos por comprar esses diminutos apartamentos e derrubar paredes. Surgiram cozinhas americanas, quartos se uniram às salas. E se houvesse viabilidade técnica, a vontade era que esses espaços se tornassem lofts

E quando parecia que tudo seria feito em conjunto, uma espécie de grande oca para cada família, eis que o uso super disseminado de smartphones e tablets parece trazer novas tendências: uma maior fragmentação. O que especialistas britânicos chamam de "broken plans".
Fonte

Seria a volta da compartimentação?

Nem tanto. Nem tanto ao mar, nem tanto a terra. As pessoas querem espaços mais tranquilos, querem espaços onde possam estar a sós, querem espaços que tenham flexibilidade para mudanças. Querem poder ver programas on demand, navegar e/ou trabalhar. Cada um em um espaço e que seja tranquilo. E isso está levando a que os espaços abertos, tão em voga, comecem a se fragmentar. 
Fonte
Calma!! Não é preciso levantar paredes indiscriminadamente. Há se que pensar espaços mais fluídos, espaços que se transformem, espaços que garantam privacidade sem perder a união. Há várias ideias para dividir espaços sem usar paredes sólidas.

E um dado que considerei maravilhoso ressaltado por Suzanne Imre, editora da revista LivingEtc ,que tem notado mais casas com bibliotecas:
"Estamos vendo um retorno quase vitoriana para o prazer de um 'melhor quarto." (Fonte)
Isso me lembrou bastante os espaços que coloquei há pouco: os cantos de leitura. Interessante que fui em busca do que seriam hoje essa tendência de "broken plans" e as fotos me preocuparam um pouco porque muitos desses espaços são plenos de diferenças de planos. Ou em português mais correto - escadas e barreiras arquitetônicas. Recurso aliás que esteve muito em moda nos anos 70. São lindos arquitetonicamente. Mas com a crescente prolongamento da expectativa de vida, as casas deveriam se preocupar também cada vez mais com a acessibilidade.
 
Fonte

O que as tendências parecem apontar é que há um desejo de volta à privacidade. Os dias de trabalhar na mesa de jantar parecem estar com os dias contados. As pessoas querem ter o seu espaço, querem que ele seja maravilhoso e querem isso agora. 
Fonte

Será? O que acham? O uso dos smartphones e tablets mudou alguma coisa em sua vida e na sua relação com o espaço?

Fonte   


Gostou? Conta para a gente a sua opinião. 


Nos siga também nas redes sociais


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros