MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

10 Livros de arquitetura da minha estante no escritório

Tantos livros fizeram parte de minha formação como arquiteta. Como estudante e como profissional. Fiz um pequeno exercício e garimpei alguns na estante do escritório. Cada um deles teve um significado diferente e em abriu uma perspectiva e um novo olhar. Juro que me deu vontade de reler quase todos!
  1. La Casa Autosuficiente - Brenda Valle - É leitura de 1981. Eu estava me formando e começando a me alertar para a autosuficiência e técnicas de sustentabilidade.  
  2. Construindo com o povo - Hassan Fathy - "A arquitetura deve expressar a personalidade da comunidade."
  3. A Força do Povo - democracia participativa em Lages - Márcio Moreira Alves - 1981, ainda na ditadura, as faculdades de arquitetura fervilhavam com a experiência de Lages. Aquele arquiteto com um imenso bigodão fazia experiências revolucionárias de participação popular. Dirceu Carneiro. Vale a pena pesquisar e saber mais a respeito.  
  4. A Dimensão Oculta - Edward T. Hall - o espaço e como nos relacionamos com ele, sempre fizeram parte de meu foco do afazer arquitetônico. 
  5. O Papel do Arquiteto - A conscientização do Design - Robert Sommer - Não achei links para o livro (:() mas ele faz parte da bibliografia de vários trabalhos. Ele fala da voz do povo e da participação nas decisões de projeto. Li muito esse livrinho, ele está meio despencado. Para mim foi uma espécie de antepassado das Avaliações pós ocupação e de projetos compartilhados que vim a ler mais tarde, na década de 90. 
  6. A História da Arte como História da Cidade - Giulio Carlo  Argan - o próprio nome é explicativo. Um livro bem interessante com uma visão das cidades como entes em transformação.
  7. Saber ver a Arquitectura - Bruno Zevi - quando estudava a bibliografia arquitetônica era predominantemente em inglês ou espanhol. Por isso mantive a grafia original do meu livro. Um beabá para quem incia a viagem fascinante pelo tema.  
  8. Planejamento Sim e Não - Francisco Ferreira - Revendo meus livros vejo que a gestão e a mudança já faziam parte de minhas preocupações. Comprei em 82, perto da formatura. Uma "pista possível: resolver as coisas de baixo para cima, reivindicando permanentemente o que só possa vir de cima para baixo." (acho que vou ler de novo, estou achando que ele ainda é necessário.)
  9. Evolução Urbana do Brasil - Nestor Goulart Reis Filho
  10. Quadro da Arquitetura no Brasil - Nestor Goulart Reis Filho
Os livros do Nestor são clássicos na formação teórica dos arquitetos. Acho leitura indispensável ainda hoje. 

E vocês? O que tem na estante e recomendam como leitura e/ou referência?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros