MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Gerar energia com o nosso movimento

Uns anos atrás eu fiquei encantada ao ler a notícia de que uma casa noturna na Europa ia ter uma pista que iria gerar energia pelo movimento de dança das pessoas. Na época me pareceu fantástico que se aliasse a movimentação (super necessária para a vida e saúde) com a geração de energia(super importante para o futuro do planeta). E não importava se essa geração fosse pouca, o simbolismo do ato me parecia suficiente.
Então foi com alegria que soube que o primeiro campo de futebol que aproveita a energia cinética dos jogadores para acender as luzes que o iluminam já existe. E foi inaugurado no Brasil, mais precisamente no Morro da Mineira no Rio de Janeiro. Parceria da start-up inglesa Pavegen com a Shell. 

Essa tecnologia, que já testada pela primeira vez nas Olimpíadas de Londres 2012 e hoje já é usada em vários locais públicos, está sendo usada na comunidade de forma pioneira. Duzentas
placas, feitas com 80% de material reciclado, foram instaladas sob o gramado sintético. O movimento dos jogadores gera a energia que, em conjunto com painéis fotovoltaicos, serve para iluminar a quadra. Também nem tudo são flores já que li que os moradores se queixam de que o custo, para eles, do uso das quadras é oneroso. Mas sigo com o mesmo raciocínio de antes, o simbolismo da implantação me encanta.  

Aliar duas necessidades mais que urgentes da vida moderna, o se movimentar com a geração de energia me parece o objetivo mais interessante. Seja para iluminar quadras, seja para recarregar celulares, seja para o que for. Imaginem estradas que possam recarregar carros elétricos, correr em uma esteira que seja recarregada pelos nossos passos. Uau! Bingo! Merece sim meus aplausos. 
Fonte: Globo

Dica do colega Wagner Gonzalez 

Pavegen - Phone charging from Pavegen Systems Ltd. on Vimeo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros