Pular para o conteúdo principal

Rede de vida e encontros

Hoje vendo essa imagem um filme passou na minha cabeça....

Anos 90, final de 95 eu acho. Ou começo de 96, vai se saber. Com o rolar das páginas, como dizia um mestre de obras meio filosófico que trabalhava comigo, a memória vai se tornando tão fluída que as referências de anos acabam se perdendo. Que seja. Tudo começou em um seminário de qualidade que participei em SP. Na volta, no avião, li sobre um mestrado na UFRGS com ênfase em qualidade. Achei que era o meu caminho e me joguei. Mesmo já não sendo uma menina como me disse (maldosamente) um membro da banca examinadora. Rebati com um: não queria sair da universidade, crua, para um estudo qualificado. Queria ter experiência na vida real. Toinnn! Só fui entender depois....

Enfim, voltei aos bancos de escola e me encontrei com uma tal de internet. na época mais restrita à academia. E aos nerds. Que esses sempre estão na frente no mundo digital. Época do provedor universitário, da internet discada, dos batepapos que caiam no meio da conversa mais interessante. E lá fui eu cair no mundo da teia, da web, do qual nunca mais saí.

Um dia, lendo uma revista de papel(!) de arquitetura soube de uma tal de lista ARQUITETURA do Yahoo. Não me lembro se era 99 ou se o tal de 2000 com o bug do milênio já tinha chegado. Entrei. Que maravilha!!!! Mil debates, gente interessante, amizades que começaram naquela época e que continuam até hoje. E para mostrar que a teia é meia mágica: conheci na lista o moderador, o Oscar. Conheci o Wagner, o Ricardo, o Octa, a Malice e tantos outros que nem dá para contar nome por nome (ela tem 1606 associados. Hoje). Pois então, a Malice me apresentou depois, em tempos de Facebook, a Samegui que me chamou para o Viva Positivamente que, pelos eventos em SP, me fez conhecer ao vivo e a cores o Oscar e a Silvana, desvirtualizando amigos! Olha a Teia se fechando. Ou se abrindo para a Vida como queiram. 

O Wagner me apresentou o Second Life e através dele conheceu sua linda holandesa e por amor, está lá hoje, ao lado dela. Prova que o amor acontece quando tem que acontecer. E que os meios digitais também podem ajudar nesses encontros.

Nesse meio tempo a gente pensou, trocou ideias, fez planos. Aprendemos uns com os outros. 

E a imagem que falei lá em cima?       
Essa daqui. A gente em hangout hoje, 15/07/2014. Silvana e Oscar lá em SP, Wagner na Holanda. Eu aqui em Porto Alegre. E essa imagem é a realização de uma ideia que pintou lá em 2008/09. Uma video conferência que unisse pessoas em forma quase presencial. A Synarqs, braço arquitetônico da Synapsis, sonho que se concebeu junto e que gerou trabalhos também conjuntos, apresentou essa ideia no Google 10a100 daquela época.



Olhando hoje a imagem que veio via WhatsApp, que a gente nem podia imaginar existir na época, vejo que a tecnologia vem sim para unir, vem para proporcionar crescimento, vem para tecer uma rede de trocas e de muito encontro.  

E você? Que histórias tem de encontros e redes de vida que vieram pela tela e teclado?

Comentários

  1. É Maravilhoso, amiga.

    Enriquecedora convivência e eterna aprendizagem.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Hehehehe... guardo muito boas lembranças da lista "Arquitetura", onde aprendi, vivi, convivi, fiz amigos, discordei, vibrei, briguei, tudoaomesmotempoagora...
    Ah... bendita internet...

    ResponderExcluir
  3. Pois é gurias, a Noeli (que conheço ainda dos blogs UOL) e a Maria Alice são das minhas primeiras amigas da Web que mantenho contato ainda hoje! Adoro isso! Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Casa Kiah, um santuário sustentável forte e positivo com home office

Uma herança que a pandemia de 2020 nos lega é uma maior consciência com os nossos espaços residenciais. Fomos obrigados a conviver full time em nossas casas, as usando como local de trabalho e não apenas como dormitórios. Isso fez com que o olhar se tornasse muito agudo para as necessidades e as deficiências a corrigir. Não a toa o boom de reformas e mudanças daqueles que podem se dar a este luxo no período após muitos meses isolados. Eu mesma tenho escrito menos no blog e isso é consequência direta de toda a gama de emoções que afloraram neste período onde portas se fecham e janelas se abrem .  Por isso achei interessante como assunto de volta, trazer esta casa australiana que contempla exatamente essa necessidade de focar em espaços de qualidade em uma casa de campo. Um casal, seus três gatos e a vontade de um "santuário forte e positivo" que incluiu, na reforma da residência, um dormitório que fosse mais que um local de dormir e um espaço para trabalhar com conforto e aleg

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de  Foster + Partners  foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia. Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito. Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado.  A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convi

Calungas, a representação da escala nos desenhos

Fonte Embora as fotografias de Arquitetura raramente tenham seres humanos, as representações gráficas dos projetos as tem. As calungas. Este nome esquisito foi o que aprendi a nominar a representação humana nos desenhos, a tal da escala humana, que mostra de maneira mais clara como os espaços se conformam em proporção aos nossos corpos.  Fonte Hoje é muito comum que tenhamos blocos de seres humanos, animais e plantas em todos os programas gráficos. E há sites onde podemos buscar figuras das mais diversas etnias e movimentos para humanizar nossas plantas e perspectivas. Me lembrei das calungas ao falar com um colega arquiteto, bem mais jovem que eu, que me mostrou fotos de projetos da década de 80, com simpáticas figuras, simulando movimentos. E, para minha surpresa, ele nunca tinha ouvido falar do termo calunga. Como eu nunca tinha parado para pensar sobre isso, fui dar uma rápida pesquisada e achei que o termo tem origem africana  e talvez tenha vindo em função das b

Apartamento pequeno para jovem casal

Mescla de materiais e cores claras fazem deste pequeno apartamento, um ambiente muito agradável para um jovem casal. Projeto do estúdio  Art Ugol . Mesmo sendo um imóvel pequeno, o projeto consegue manter a privacidade com áreas de cozinha e estar bem resolvidas e que parecem amplas. A planta baixa nos mostra que existe uma pequena entrada com o banheiro e área de cozinha localizados a esquerda, onde se pode ver as áreas de colunas hidráulicas. Os arquitetos localizaram grandes armários na entrada, um deles servindo de divisória para um nicho onde, sobre um estrado com gavetões, colocaram o quarto. Na verdade a cama, que é escondida com uma grande cortina que confere privacidade ao ambiente. Para harmonizar com a área de estar, criaram um painel em madeira que serve como um grande rodapé divisor da parede, gerando dinamismo e ao mesmo tempo aconchego e iluminação. A cozinha é ampla com o uso de madeira e branco que são usados em todo o apartamento. Estes materiais são que