MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Vai ter Copa e começa hoje

Já li que hoje é o dia dos namorados que eles sonhavam: com futebol e namorada torcendo junto. Como eu sempre gostei de futebol, meus amores nunca podiam se queixar. A não ser os que torciam pelo time adversário...

 

Mas por que será que o futebol, ou o soccer dos americanos, desperta tanto interesse e paixão pelo mundo? Primeiro porque, bem jogado, é muito bonito de ver. Aquela movimentação em conjunto, os dribles, a bola, tudo forma uma coreografia que por vezes parece um balé. Tinha um cine jornal sobre futebol, que passava antes dos filmes, chamado Canal 100 

"O nome Canal 100 foi uma analogia à televisão que até recentemente se identificava pelo número do Canal. Canal 13(Tv Rio), Canal 6 (Tv Tupi), Canal 4 (Tv Globo), etc. Canal 100 era na visão de Carlos Niemeyer um número inatingível pela Televisão."

Inatingível? Canal 100??? Imagine nossos canais 500, 600. E nem faz tanto tempo assim. Prá se ver como as possibilidades do futuro são muito mais infinitas do que sonham nossas vãs previsões.  
Imagine juntar em uma única data, um dia que homens adoram e outro que as mulheres amam comemorar. Dá todo mundo feliz! 

Não, pera aí, o mundo não é tão simples assim. Tem gente solitária, tem gente contra a Copa, tem gente que não está nem aí. Esses me perdoem, vão procurar outro assunto porque hoje só vai dar isso. E amanhã, e depois, até o final daqui um mês. Isso se o Brasil for até a final.
Minhas primeiras lembranças de Copas estão ligadas ao rádio. Era 1962, Novo Hamburgo, na época uma pequena cidade do RS, onde as pessoas se reuniam ao redor de um auto falante na praça central para ouvir as transmissões dos jogos. TV? Nem pensar. Poucos tinham e nada era direto. Se dependia mesmo do rádio e de seus locutores que emocionavam descrevendo o que as mentes imaginavam.  

Para a menina de cinco anos, aquela cena ficou gravada, pela emoção e alegria que deu ao meu pai. Nessa copa pela primeira vez ele é só lembrança. E por isso vou fazer uma força extra para não ficar triste, mas me lembrar o quanto as Copas e o futebol o deixavam feliz. 
Se vai ser a maior de todas as Copas até agora, se vai trazer alegrias, se vai dar frustrações, nada importa quando o espetáculo se inicia. Até mesmo para aqueles que por ideologia vão torcer contra. Faz parte também do espetáculo. Futebol já deixou de ser um jogo inocente faz muito tempo. Movimenta bilhões em todo o mundo e é um negócio altamente lucrativo. Para alguns. Meninos sonham pelo mundo em chegar a ser um craque. Uma ínfima minoria consegue. Meninas sonham com o dia em que o futebol feminino seja tão reconhecido como o masculino.

O que fascina em uma copa do mundo é algo que vai além do futebol. É bacana ver essa junção de gente de tudo quanto é canto do planeta, saber mais sobre países e suas histórias. Não sei quanto à vocês, mas eu já comecei a pesquisar mais sobre a Croácia e sua arquitetura.  
Então que se abram as cortinas. Vou abstrair o que está em torno do futebol. Me permitam voltar a ser aquela menina de cinco anos que sentiu uma multidão vibrar por um gol. Me permitam ser a adolescente que carregou bandeira, que torceu, que foi a estádio e vibrou. Me permitam ser a mulher que hoje sou e que carrega no peito a saudade de ter meu pai torcendo e vibrando junto. 

Vai que é tua Brasil! Nessa hora somos pura emoção. Vai ter copa sim. E começa hoje.

Fotos : Google e Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros