Pular para o conteúdo principal

Mural do afeto

Vi esse nome em uma foto na web e amei! Coisa mais linda a gente organizar um mural de afetos. Em nossas vidas! Reuni um monte deles para servir de inspiração.

Como muitos sabem, minha rotina nos últimos meses incluiu idas diárias ao hospital onde meu pai se recupera de uma situação bem complicada. Transitar por salas de espera de CTIs e Unidades Especiais de tratamento é uma pós graduação de vida. Ali, no limiar da morte, convivendo com a luta das equipes médicas a quem tanto admiro, com o sofrimento e impotência das famílias que se unem em uma rede de solidariedade, vemos o quanto o afeto é importante para a nossa vida. E mais ainda em dias de tanto individualismo. Nessas horas em que os objetivos, os lucros, as conquistas materiais passam a ser secundárias, vemos que a grande conquista na vida é ter família, seja de sangue ou de coração. É dar e receber afeto, amor, carinho.   

Talvez por isso, essas fotos que reúnem mostras de afeto dentro de nossas casas tenham me tocado tanto.

E hoje, ao acordar me deparei com duas publicações no Face que me fizeram sorrir. Uma foto do DecoraCasa da Flávia Ferrari com um mural de fotos, justo o tema que ia começar a escrever. E outra de um projeto lindo da Talita Ribeiro, o Projeto Cartas para o Futuro. Eu já me dispus a participar e recomendo MUITO a leitura do texto. 

Cada vez mais me convenço que as redes sociais são um caminho lindo para conhecer pessoas e fazer coisas boas juntos. Elas são como a vida, tem coisas boas, tem as ruins, cabe a nós a escolha.  
Formar redes de afeto, expo-los de forma bonita! Saibamos criar laços que sempre nos fortaleçam nas horas em que mais precisemos. Saibamos dar de nós, seja em forma de palavras, de gestos, de atos concretos. Que os nossos talentos sirvam para além de nossa sobrevivência, que sirvam de alento e motivação para que mais pessoas possam realizar os seus.
E que lindo ter em casa murais de afeto. Lembranças de momentos lindos de vida, de pessoas que nos fazem bem. Murais com os desenhos de nossos filhos, netos. Esses dias fui atrás da minha certidão de nascimento, e na pasta de meu pai onde ela se encontra, estão desenhos que fiz desde muito pequena. As cartas que mandei, os recortes de jornal com noticias e coisas que escrevi. Uma pasta de afetos! Fiz uma viagem no tempo e fortaleci os laços imensos que nos unem. Hoje é minha vez de ter força e retribuir, um pouco, esse imenso amor e carinho que me formou.
Não apenas murais em paredes formam esses murais de afeto. É abrir um livro e ver uma dedicatória, é achar um cartão de carinho escondido nas páginas. É gostar mais do cartão que do presente de aniversário. É se doar.
Murais de afeto são parte preponderante de nossas vidas. É o amor interno e externo que nos impulsiona. É o combustível que nos abastece. E com a vantagem de ser aumentado a medida que se distribui.
Essa postagem era para ser como colocar fotos nas paredes. Mudou no meio do caminho. Talvez fosse esse o seu verdadeiro destino. A Arquitetura, seja interna ou externa, não existe por si só. Ela só tem sentido se despertar emoção. Se for útil. Se servir para que vivamos melhor.
Fotos: Pinterest e Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e bem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Robôs no lugar de operários na construção civil. Não é futuro

Ao ler uma reportagem sobre os canteiros de obras sem operários e sobre as inovações na execução na construção civil, não posso deixar de lembrar da célebre foto de Charles C. Ebbets de 1932. Operários comendo tranquilamente sobre uma viga no 69º andar das obras do GE Building, em Nova York. Montagem (o que parece não ser) ou verdade, a imagem nos dá calafrios ao imaginar construções sem o mínimo aparato de segurança. 

Pensar que, menos de cem anos depois desta foto, estaremos debatendo não apenas construções mais gigantescas que as do início do século XX, mas a utilização de aparatos de robotização em projetos e execução que saem cada vez mais do campo da ficção para a realidade.

Contar com drones nos canteiros de obras, conectados à tablets ou smartphones, não apenas facilita como agiliza os serviços que antes contavam apenas com trabalho humano braçal. E muitas vezes com a sorte já que se localizam em locais mais inacessíveis ao olhar.
Segundo o artigo citado no primeiro parágrafo, &q…