Pular para o conteúdo principal

Cottage - a casa, não o queijo

Fonte
Viver em um palácio sempre ninguém aguenta. Nem a Maria Antonieta, aquela rainha que perdeu a cabeça. Antes ela ganhou de seu marido uma "modesta" casinha de campo onde brincava de ser camponesa. Mas reza a lenda que nem aí ela aprendeu a empreender as necessidades das massas menos favorecidas e deu no que deu...

Mas novos tempos, novas relações sociais e econômicas e a necessidade de ter um lugar para chamar de meu refúgio continua a povoar os sonhos de quem já conseguiu o básico, um bom trabalho que permita a sobrevivência e algo mais, uma casa para morar todo dia e mais alguns luxos. 

Resta o sonho da Cottage. Lindo esse nome. Bem europeu e significando essa casa pequena, meio sem luxos, onde se refugiar do dia a dia e brincar de camponês hoje em dia. Uma vez se chamava de chalet por aqui, hoje casa de campo cabe bem. Mas Cottage é bem mais charmoso.

Cottage que se preze pode ser simples, mas sempre cabe alguns luxos. Uma adega para os vinhos que acompanharão os queijos (cottage talvez) pode estar em um nicho da parede. Serve de enfeite também.

Campo para gaúcho também lembra serra. E serra lembra frio. Logo, uma boa lareira se faz necessária. Tudo bem, essa é a base de etanol. Mas no meio do campo até pode ter uma com boa chaminé e um fogão a lenha. Afinal cortar lenha faz parte do exercício de viver uma vida simples.
Sustentabilidade afetiva sempre caracterizou as segundas casas, sejam de praia ou de campo. Normalmente é para onde iam, ou vão, os moveis antigos, as lembranças de família e aquele ar de muito aconchego!
Cottage tem tudo a ver com viver o verde. Um belo jardim faz parte do encanto de estar no campo. Recantos gostosos de ficar, observar e respirar ar puro. Vale uma estufa para sementes e local onde guardar ferramentas de jardim.  
E já que a proposta é viver em simplicidade, o reciclar e renovar móveis antigos faz parte da brincadeira. Aquela cômoda que estava de canto, ganha nova cara com uma bela pintura e aplicações de tecido e/ou papel adesivo. Fazer com as próprias mãos torna a tarefa ainda mais divertida! 
Materiais simples, como as tintas feitas de terra, conferem um ar rústico e podem ser feitas por você. Veja como no link acima.
Madeira, simplicidade, reaproveitamento, sua segunda casa pode ser um canteiro de experimentos de um novo estilo de vida. Aproveite o momento Maria Antonieta para uma nova reflexão sobre seus hábitos de consumo do dia a dia. Precisa de tanta coisa, de tanta roupa, de tantas embalagens? Lembre que sustentabilidade é mais que moda, é atitude. Aproveite para rever a sua.
No mais, se puder ter uma segunda casa para chamar de sua, faça-a com amor e seja feliz!
Fotos Pinterest
 

Comentários

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Interno I - escada como elemento formal destacado

A escada como elemento formal de ligação entre os dois andares desta reforma que o escritório do arquiteto italiano Alfredo Vanotti executou chama a atenção pela beleza e fluidez.Feita em ferro e pintada em branco ela não apenas é ponto focal, como serve de divisória para os espaços de estar e cozinha.
O espaço amplo servia de escritório e agora abriga área social no térreo e dormitório com banheiro no piso superior. Tudo isso em um estilo enxuto e ao mesmo tempo aconchegante.Coerente com a proposta do arquiteto de que a sua arquitetura deve falar por si mesma.
Nos siga também nas redes sociais
TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest