MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Cidade para os cidadãos e cidadãos para a cidade

Vivemos tempos em que as pessoas disputam espaços em templos de consumo. Eu creio que ninguém deve ser impedido de entrar onde queira desde que em relativa ordem (definir os limites do que seja ordem é que são elas, mas enfim, faz parte das sociedades ditas civilizadas definir o que pode ou o que não pode, desde que respeitadas a isonomia de ir e vir). Mas o que realmente me incomoda é que locais de consumo sejam hoje uma das principais formas de lazer de todas as classes sociais. E os parques? E a rua? Como estamos distantes desses espaços que, com algumas exceções, se encontram bem mais em bairros de classe media e alta do que em bairros de classes menos abastadas. Mas, é difícil fazer um projeto mais inteligente? Um que valorize espaços públicos e os transforme em espaços para pessoas? Nem tanto. Vejam esse exemplo de Tirana na Albânia. Vemos como uma organização sem fins lucrativos, a Co- PLAN, tem trabalhado para promover uma mudança, em parceria com as comunidades, fazendo acontecer uma cidade para os cidadãos e cidadãos para a cidade.

No vídeo abaixo um exemplo em que uma equipe de criação e execução atua em parceria com a comunidade para fazer de um espaço vago, um belo local de divertimento para as crianças, usando materiais como paletes e pneus usados, e com muita vontade de trabalho, criatividade e trabalho conjunto.



Vacant Public Space Turned Into Colorful Playground from Slovak Governance Institute on Vimeo.

Outro exemplo de trabalho da Co-PLAN é essa parada de ônibus feita com garrafas pet. Esse projeto do MetroPOLIS Studio fez parte do Tirana Architecture Week, um evento público de 2012 que tinha como objetivo promover o uso de materiais recicláveis nas cidades da Albânia.



Soluções simples, viáveis e que apenas exigem parceria. Uma boa ideia de como se pode fazer acontecer bons espaços em uma cidade. 

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros