Pular para o conteúdo principal

Ao pé do muro - e do pré conceito

Estava arrumando minha biblioteca do escritório, organizando e limpando os livros quando achei esse livro que me acompanhou na graduação: Ao Pé do Muro. Creio que nem existe mais porque só encontrei em sebos na rápida pesquisa que fiz no Google. Quando abri uma página ao acaso vi um desenho de homem de terno saudando uma mulher NUA saindo de um poço. Postei a foto no Instagram como curiosidade. Mas...

arquitetando ideias

arquitetando ideias ...fui me dar conta que essa figura, em um livro didático e profissional era algo muito significativo. Me lembro que o Ao Pé do Muro era uma tradução de um livro técnico francês que era dirigido aos profissionais da construção civil naquele pais. Ele dava informações técnicas relevantes com uma linguagem clara e era cheio de figuras explicativas o que tornava a leitura mais amena. 
Mas confesso a vocês que eu não me dei conta, na época, de como a figura feminina aparece como coadjuvante ou mero enfeite. Folheando o livro hoje só vi uma figura onde mulheres aparecem trabalhando. É na parte de acústica e elas estão em um escritório. Em todas as outras figuras as mulheres aparecem fazendo trabalhos domésticos, sendo esposas ou estão em atitudes provocantes com pouca roupa ou nuas, seja como a moça que sai do poço, seja como estátuas ou sereias.
arquitetando ideias
Tudo bem, é um livro antigo, de repente reproduzia um mundo que não existe mais. Será? Esses tempos fiz uma postagem sobre mulheres na arquitetura e fala de uma realidade bem mais atual e ainda aponta essa cultura sexista e machista no ambiente da construção civil. Mesmo que o ambiente de obras tenha mudado bastante desde que me formei em 1982, ainda temos poucas mulheres recebendo prêmios expoentes como o Pritzker. Talvez isso mude com novas posturas das mulheres no ambiente da construção civil e em um futuro próximo tenhamos mais mulheres no comando e não apenas servindo de cenário.

A questão da caracterização do papel de alguém em livros, revistas, na sociedade marcando sutilmente papéis é super relevante. Vai marcando posições e comportamentos. Vai insinuando qual papel cada um deve ocupar. Se uma menina e/ou mulher se vê retratada em uma posição subalterna ou de ajudante pode ir internalizando que esse papel é justo e acaba por perpetuar os pré conceitos existentes. Vários artigos e estudos mostram que o caso desse livro não é exceção e e que essa realidade não mudou tanto assim. Vejam em Educação e a Imagem da mulher nos livros . Mais em A MULHER NA HISTÓRIA: REPRESEN TAÇÕES NOS LIVROS DIDÁTICOS de Maureen Javorski (PDF) e em
A MULHER E A HISTÓRIA: Um Papel Desigual de Sandra Alves Moura de Jesus (PDF)

Urge mudar essa história. Ajudar a resgatar o papel determinante que as mulheres sempre tiveram na história, seja a que é escrita em livros, seja a que é feita de lutas e conquistas diárias e que passa tão longe dos holofotes, mas que marca nossas vidas e garante conquistas tão importantes. Tantas mulheres tiveram papeis determinantes em conquistas que hoje desfrutamos. E a maioria ficou anônima. Lembro de um sonho de projeto da Sam Shiraishi de falar sobre as mulheres no século XX e mostrar, através de histórias de mulheres conhecidas, as lutas e avanços que resultaram em um poder maior de escolha para nós, suas descendentes. Escrevi sobre isso em Mulheres que me arquitetaram  

Que possamos ver mais representações femininas em papeis de comando, em meninas não apenas cuidando da beleza ou brincando de casinha, mas brincando também de ser pedreira, engenheira, arquiteta, piloto ou presidenta. (e sim a academia brasileira de letras reconhece que existe essa palavra -e a própria celeuma em torno dela já revela o quanto esse papel ainda não é natural em nossa sociedade). 

Autor: Elenara Leitão

PS: eu nem sabia que existia um livro moderno com esse nome e essa postagem nada tem a ver com ele.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…