Pular para o conteúdo principal

Ser arquiteto. Por quê? 10 razões

Porque ser arquiteto?

Ouvindo um documentário sobre arquitetura que fez essa pergunta a vários colegas, me peguei pensando. Por que mesmo ser arquiteto? 

As muitas facetas de um arquiteto
  1. Para realizar os sonhos de outros. Dizem que a primeira coisa que vem a cabeça acaba sendo a mais verdadeira. E pensando bem acho que é correto. Nada me causa mais satisfação na arquitetura que sonhar e realizar junto com o outro. Me colocar no lugar dele, desenvolver meu lado empático que me faz ver o mundo com vários olhos.
  2. Criar. Poder por abaixo o que não funciona. Enfrentar poeira, bagunça e mudança. Mas poder fazer isso sem gastar e sem viver na obra....ou seja, só vejo o lado bom da obra. 
  3. Para poder exercitar meu lado crítico. Pode parecer um contra-senso, mas arquiteto para ser bom tem que usar a capacidade de ser meio advogado do diabo com os espaços. Tudo pode ser melhorado. Em principio. Me aponte um arquiteto 100% satisfeito com uma obra e projeto, sem achar um mínimo detalhe que poderia ter feito melhor. Eu não conheço.
  4. Para poder ter a desculpa de viajar e ler muito. Arquiteto precisa ter repertório, precisa ter bagagem. E viajar, mesmo que seja pela internet, é fundamental. Ao vivo então é muito melhor. Muitos dos maiores arquitetos conhecidos aprenderam mais em viagens pelo mundo que nos bancos escolares. Ler segue a mesma lógica.
  5. Poder trabalhar no que gosta. Sim, porque se você não gosta de Arquitetura, não vai ser pela remuneração ou segurança que ficará na profissão. Arrisco a dizer que ser arquiteto é para os fortes. A gente costuma dizer que é vício - uma cachaça. De boa marca.
  6. Aprender a lidar com gente. E não falo apenas dos clientes. Mas de colegas, fornecedores, mão de obra, enfim, um conjunto imenso de pessoas que transitam por um projeto e obra e que também são um dos melhores aprendizados de vida que se tem. 
  7. Viver entre o mundo do luxo e o da realidade e não se contaminar. Explico: tem um lado da Arquitetura que é feito de símbolos. Sejam externos ou internos, há espaços onde é preciso voar pelo que de mais suntuoso ou caro exista na sociedade. Aprender a lidar com isso sem esquecer da funcionalidade e das pessoas que habitarão ou circularão por ali é um exercício da profissão. 
  8. Viver entre o mundo da extrema carência e o da realidade e não se abater. Explico: há trabalhos em que é preciso circular por sub habitações, esgotos a céu aberto, falta de qualquer tipo de dignidade. Saber lidar com isso com sensibilidade, mas com a distância necessária para propor soluções viáveis também faz parte do aprender a ser arquiteto.
  9. Para ser um profissional que muitos admiram mas poucos sabem a real utilidade. Para muitos os arquitetos ainda vivem em um mundo limpo, são todos grifados e vivem em um eterno mundo de prancheta, bolando coisas lindas, em ambientes paradisíacos. Poucos conhecem o lado do cavador, do obreiro, das mãos e cabelos sujos de gesso, dos sapatos enlameados. Ser arquiteto também significa mostrar que um projeto é mais que plantas ou desenhos
  10. Para ser um profissional que, exercitando a criatividade, vai fazer um produto para pessoas se sentirem melhor. Não, arquitetos não servem para fazer apenas prédios bonitos que tenham a sua cara. Arquitetos não servem para ter um ego maior que o mundo, exibir sua genialidade em edifícios plasticamente soberbos que não servem para ninguém ficar dentro. Arquitetos não são escultores ou artistas. Arquitetos são criadores técnicos. Estudam para viabilizar sonhos. 

  •  E para você, o que é ser Arquiteto?

Comentários

  1. Adorei! Futuramente meu sonho é ser arquiteta ❤

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Futuramente meu sonho é ser arquiteta ❤

    ResponderExcluir
  3. Que legal Lis! Vou torcer pelo teu sucesso! Grande abraço!
    Elenara

    ResponderExcluir
  4. Preciso também converssar com você, Sobre esse mundo da arquitetura e muito mais 💙💚

    ResponderExcluir
  5. Esse negócio de viajar muito é que desanima. Cadê o dinheiro? :(

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós !

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

Círculo da Vida - arquitetura viva

Imagine uma série de construções que sigam o ciclo da natureza de vida, que possam crescer, florescer e fenecer como qualquer organismo vivo. É a ideia por trás da Arquitetura Viva ou botânica construtiva como alguns chamam. Falei sobre este conceito em Arquitetura Orgânica.
E enquanto pesquisa o site dos arquitetos do Obvious Avoid (falei sobre eles na postagem sobre ensinar crianças a pensar como arquitetos) encontrei essa proposta do Círculo da Vida que eles mesmos descrevem como "uma coleção de construções sustentáveis ​​feitas para celebrar a arte, a natureza e a ciência. "
Através de um centro de aprendizado a ser feito em uma floresta mexicana, as pessoas poderiam participar e compreender a natureza em todos os seus processos, tanto de vida como de morte. E onde o local não será apresentando como uma proposta fechada, mas como um processo em crescimento natural.
Os sete passos do ciclo proposto são:
Encontrar e recolher árvores caídasConfeccionar produtos de madeiraUsar p…