Pular para o conteúdo principal

Visita à fábrica verde em Maceió

Participei, juntamente com vários blogueiros, de uma visita à moderna fábrica verde da Coca Cola em Maceió. Ela foi concebida dentro de todos os requisitos para garantir uma certificação LEED, usando conceitos sustentáveis que vão desde a escolha do terreno, passam pelo uso de materiais reciclados e recicláveis, iluminação natural, tratamento e reaproveitamento das águas. Essa preocupação ambiental faz parte dos desafios de sustentabilidade para a indústria. 


Fábrica da Coca Cola em Maceió - foto Elenara Leitão
Me lembro que meu pai, um homem de visão adiante do seu tempo, sempre falava da responsabilidade social das empresas e que os negócios eram bons quando todos ganhavam. Muitos anos depois, ao fazer meu mestrado na Engenharia de Produção tive a oportunidade de conhecer mais a fundo práticas de produção industrial e conhecer conceitos como produção enxuta, sustentabilidade e algo se chamava de relação de "ganha-ganha". E gostei demais dessa ideia de que um bom processo é aquele que serve a todos - produção, fornecedores, consumidores e meio ambiente.


Nessa visita tivemos a oportunidade de ter uma conversa online com o VP da Coca Cola, Marco Simões que nos falou sobre a fábrica, a política da Coca Cola e respondeu perguntas dos blogueiros. Todos bastante curiosos por sinal.


Bate papo com Marco Simões VP da Coca Cola
Um dos conceitos que achei bem interessante foi o do Eu, Nós e o mundo. O Eu é representado pelos cuidados com a saúde (e tenho participado de alguns eventos que a Coca está promovendo visando essa relação das pessoas com o cuidados com a sua saúde). O Nós pelo bem estar social, enfocando o cuidado com os fornecedores e com toda cadeia produtiva. E o Mundo pela responsabilidade com a sustentabilidade ambiental. Nos falou sobre vários programas da empresa de incentivo à reciclagem, seja têxtil, seja com a criação de tecnologias de reutilização de pet nas embalagens. Trabalhos com as cooperativas e também com prefeituras para capacitar para a coleta, citando o exemplo de Itu, em SP, que já conta com 100% de coleta.  
Blogueiros no bate papo com o VP da Coca Cola
Outro dado que me chamou a atenção foi com os cuidados com fontes de água e a preocupação em utilizar cada vez menos água na produção. Disse que a meta é chegar a utilizar 1,5L por cada bebida. Eu tinha lido em um blog que era infinitamente maior e achei bem interessante quando ele disse que a fábrica mais eficiente no mundo é a de Jundiaí que usa 1,35 L. 

Foto : Divulgação
Mas e a planta? A gente chama de planta a fábrica. Todos curiosos para ver a tal de fábrica verde. E o processo de produção de refrigerantes em pet e retornáveis. Mesmo quem não curte refrigerantes deveria um dia visitar as fábricas pela curiosidade de ver aquele maquinário imenso e ver como tudo é feito com a maior eficiência e limpeza. Eu já tinha visitado um chão de fábrica  e ficado fascinada pelo alto grau de automatização. Quer ir também? Se informe no telefone  0800-021-2121


Foto : Divulgação
Nós não pudemos fotografar por questões de segurança, mas um fotografo oficial nos acompanhava e tirou fotos que mostravam a visita.

Foto : Divulgação

    Área de lazer dos funcionários usando material reciclado - paletes e garrafas pet no piso 
Alguns diferenciais da fábrica que a qualificam a ser qualificada com a certificação LEED de acordo com o site da empresa 
  1. Terreno próximo para que os usuários possam ir a pé, de bicicleta ou transporte público reduzindo dessa forma a emissão de gases.
  2. Adoção de grande área plantada no terreno, promovendo, entre outros, gerenciamento mais eficiente das águas pluviais, maior biodiversidade e redução do efeito ilha de calor.
  3.  Cobertura do galpão de produção com cor clara e pé direito alto, diminuindo o efeito “ilha de calor”, em função da maior reflexão solar e também da utilização de telhas com isolantes térmicos, propiciando maior conforto aos colaboradores.
  4. Iluminação natural em todo galpão industrial.
  5. Uso eficiente de água e redução de uso de água potável em necessidades secundárias:
  6. Paisagismo com o uso de plantas nativas ou adaptadas, diminuindo a necessidade de irrigação.
  7. Instalação de equipamentos economizadores de água, como válvulas “Dual-flush” e reuso de água dos chuveiros para as bacias sanitárias e torneiras com temporizadores.
  8. Instalação de sistema de captação e reuso de águas do processo produtivo para a irrigação.
  9. Restrição das instalações consumidoras de energia como ar condicionado e iluminação artificial.
  10. Diversas soluções para a redução de consumo de energia, como tanque de acumulação, baixa Densidade de Potência Instalada de Iluminação (LPDI) e vidros eficientes.
  11. Utilização de gases refrigerantes sem a presença de CFC no bloco industrial. iluminação natural, utilização de telhas translúcidas e sistema de ventilação.
  12. Utilização de materiais locais na construção, diminuindo a distância do transporte e consequentemente a liberação de CO2 na atmosfera.
  13. Instalação de área para captação e gerenciamento de resíduos (reciclagem) na planta do edifício.
  14. Uso de madeira certificada (FSC) garantindo a origem de área de manejo florestal.
  15. Uso de tintas com baixo índice de VOC.
  16. Sistema de monitoramento de CO2 nos ambientes internos, garantindo uma boa qualidade interna do ar.
  17. Equipamentos de controle de poluição, como capachos, instalados nas entradas dos edifícios, reduzindo a entrada de partículas contaminantes.


Blogueiros ao final da visita
Mais visões sobre a visita à fábrica da Solar nos blogueiros abaixo. Recomendo porque cada um tem uma visão diferente e interessante sobre o tema
 Chris do http://inventandocomamamae.blogspot.com @alinekelly do Sustentável 2.0, @andersoncosta do Movebla, @clauchow do Ecodesenvolvimento, @anamariacoelho do Lounge Empreendedor, @renatoguimaraes do Sustenta News, @smiletic do Porque minhas opiniões não cabiam na telinha da TV, @sustentavell do Sustentabilidade Corporativa, @gnsbrasil do Conversas de Cozinha, @daianevv do Vivo Verde, @claudiamidori do Aventuras Gastronômicas, @elfinha Elfinha, @biosustentavel do Autossustentável, @cozinhapequena Cozinha Pequena, @claudiagiane do Bolsa de Novidades, @lucianakotaka do Comportamento Magro, @kitaferreira do Inventando com a mamãe, @regianeDesign do Casa com Decoração, @senalaila do Xô, Bacon, @inagaki do Pensar Enlouquece e@samegui, do A Vida Como A Vida Quer.

Comentários

  1. Oi Elenara, foi uma experiência incrível fazer essa visita. O melhor é ler todos os posts e relembrar de partes que foram importantes em outros pontos de vista. Eu me lembro que também gostei muito do conceito do Eu, Nós e o mundo, mas tinha me esquecido e relembrei aqui no seu post. Eu fiz o meu hoje e coloquei o link de todos os posts sobre a visita. Assim acabo tendo mais conteúdo.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Sabes que eu também adoro ler todos os posts para ver a visão de cada um e com isso eu acrescento tanto na minha! Aprendo com vocês sempre! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Parabéns por fazer parte desse seleto grupo que Vive Positivamente com a Coca-cola! Gostei de ler aqui o ponto de vista de engenharia de produção!
    bjs Sandra Portugal www.projetandopessoas.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi