Pular para o conteúdo principal

Arquitetura - mais que desenho

Em debates escritos e falados essa semana tecemos considerações sobre dois problemas que envolvem a Arquitetura e sua delicada relação com o cliente.
Um dos debates era sobre esses sites de projetos prontos que cobram super barato por soluções genéricas, e um pouco menos barato para personalizá-las. Em principio eles tem uma grande procura por parte dos clientes e um grande repúdio por parte dos profissionais. Mas por trás dessa aparente contradição de necessidades e visões, se esconde um desconhecimento e pouca valorização do que seja realmente um projeto de arquitetura.


Uma das coisas mais importantes para que uma edificação possa ser considerada arquitetura é ter um conceito, uma proposta. E isso só é possível se existir um programa para AQUELE problema, AQUELE cliente, AQUELE terreno. É a partir desses condicionantes que o arquiteto pode gerar uma solução que seja a mais adequada possível. Um projeto genérico é diferente de um remédio genérico. Me lembra muito algumas situações que encontro aqui no Rio Grande do Sul onde se pegavam plantas de casas europeias e as reproduziam aqui. Literalmente. Sem ao menos adaptar. Resultado? Na maioria das vezes quartos para o sul e cozinhas para o norte. Ou seja, esqueciam de implantar no terreno....Detalhe que parece sem importância, mas que é um dos mais básicos elementos para que se possa projetar.

Então essa procura por sites de projetos, sejam de residências ou de interiores, me parecem ter dois problemas que merecem ser debatidos: 

1) o pouco conhecimento do que seja arquitetura, do valor de um projeto personalizado e as vantagens que ele pode trazer ao cliente. Solução: campanhas e campanhas do CAU, do IAB e nossa (profissionais) para que a sociedade consiga pesar o que está comprando. E aprimoramento da nossa bagagem técnica profissional para que se consiga realmente gerar essas soluções otimizadas que tragam vantagens para o cliente.

2) Cultura da era grátis na internet. A produção cultural está passando por isso e as indústrias estão se adequando. Esse nó me parece mais complicado de resolver. Mas de certa forma está ligado ao primeiro, o pouco conhecimento do produto. Enquanto projeto de arquitetura for confundido com plantas e desenhos, não vai ser valorizado como deve.


 
E o outro problemas, super corrente e que vários profissionais conhecem bem, é a quantidade de mão de obra não qualificada dando palpites em obras. Quando falo não qualificada não estou falando da pouca experiência em construir, pintar, fazer instalação elétrica, mas da falta de estudo de  estruturas que faz com que se furem vigas para passar conduítes (!), se tirem paredes no achometro, se coloquem piscinas e banheiras sem analisar se aquelas estruturas suportam o peso. Quando um arquiteto ou engenheiro acompanham uma obra eles respondem perante a um conselho com a sua responsabilidade técnica. E ela significa responsabilidades cíveis, trabalhistas, profissionais. Alguns clientes preferem escutar palpites de construtores que, em caso de danos, não vão ser responsabilizados como um profissional habilitado vai. 

Tudo bem, você deve estar se perguntando: então vou ter que pagar super caro para um arquiteto ou engenheiro fazer meu projeto (ou um designer de interiores que o seja, que tem formação superior e que pode fazer também intervenções em ambientes internos, desde que não estruturais)....Não, não necessariamente. Você vai pagar o preço justo para não ter problemas, para ter as suas soluções que vão caber nas suas necessidades. E quanto maior e mais cedo o planejamento, mais barata e sem problemas a sua obra. Mas tem profissionais que não são tão bons, meu vizinho (amigo, primo, chefe, etc) que já teve uma experiência cruel, você vai me replicar....Tem sim, como qualquer profissão, por isso o ideal é fazer uma triagem. Quando eu procuro um médico, pesquiso na internet para saber o currículo, se for preciso vou às redes sociais ver se tem perfil, se pesquisa, se não tem processos contra ele. Faça o mesmo com o seu arquiteto/a. Converse, procure, veja se rolou uma empatia entre vocês. Te garanto que não é tempo jogado fora. E a sua satisfação será muito maior que aquele projetinho baratinho que de repente vai precisar de mil alterações para funcionar do jeitinho que você quer. E precisa. 

 Autor : Elenara Leitão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maior ponte sustentável em madeira conecta pessoas na Holanda

A  província de Groningen, na Holanda é conhecida por ser a capital ocidental do ciclismo . Para unir as localidades de  Winschoten e Blauwestad foi construída a maior ponte sustentável em madeira da Europa, a  ponte Pieter Smit , com 800 metros de comprimento. Ela cruza águas, uma rodovia e uma zona ecológica e possibilita que pedestres e ciclistas as cruzem e acessem por três locais. A construção foi feita com madeira certificada, iluminada por lâmpadas led de baixo consumo. Além disso, houve a preocupação de plantar árvores para que ela não atrapalhasse a rota dos morcegos locais. Outros pássaros também foram lembrados com caixas (na parte de baixo da ponte) e paredes de areia para ninhos. Fonte   Imagens: Blauwestad Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook   Instagram   Pinterest

John Lautner - um arquiteto que aliou beleza à funcionalidade

Walstrom House Gosto de pesquisar casas com um toque de aconchego e que possam servir de inspiração para futuras residências compartilhadas com amigos , e esta imagem me chamou a atenção no  pinterest . Pensamos em algo no estilo Tiny Houses , mas não descartamos ideias incríveis como as desta casa. Olhando o interior, me apaixonei e fui em busca de mais informações sobre ela e seu autor. Foi assim que descobri John Lautner .   Walstrom House - foto de Jon Buono Esta casa de madeira, batizada de Walstrom House, foi construída em 1969, em Santa Monica, na Califórnia. Seu arquiteto foi  John Lautner , um dos primeiros aprendizes de Frank Lloyd Wright, no primeiro grupo de Taliesin Fellows. Nascido em 1911, e sendo sua mãe, Catheleen Gallagher, desenhista de interiores e talentosa pintora, a teve como influência na sua opção pela arquitetura.  Sua carreira foi marcada por grandes aprendizados. Além do mestre FLW, também manteve parcerias com Samuel Reisbord, Whitney R. Smith e Douglas H

Errar é humano, não resolver é insano

Errei sim. Adoraria dizer que fui perfeita e eficiente a maior parte da minha vida. Mas não seria verdade. Procurei ser, o que me dá um certo crédito.  Mas sempre surgem aqueles momentos em que algo dá errado. Seja no projeto ou na obra.  No projeto, as causas mais frequentes, na minha experiência, são problemas na medição dos espaços e um briefing não muito completo. São etapas fundamentais para o bom andamento de qualquer projeto. Uma das maneiras que procuro agilizar, nas medidas, é buscar o maior número possível de informações sobre o espaço a ser medido. Muitas vezes garimpo fotos de venda e procuro, se não existe planta disponível, fazer uma planta baixa baseada nas fotos. Poucas vezes erro. Mas mesmo assim, ainda me passo nas medidas. São muitos detalhes que devem ser checados, é preciso organização e muitas fotos auxiliando a memória. A entrevista com cliente é outro ponto a ser observado. Muitas vezes quem paga não é o que decide. Observar e entender as dinâmicas das pessoas n

Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida

"Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida." Continuo com o mesmo processo de busca de inspirações para escrever no blog: a intuição, o sentimento. Olho, pesquiso e de repente uma imagem me diz alguma coisa. Foi o caso dessa biblioteca no jardim . A primeira coisa que pensei foi: que coisa maravilhosa, queria uma assim para mim!! Quero saber mais quem fez isso!! E cheguei aos arquitetos do  Mjölk Architekti .  Passeei pelo site deles, olhando as obras, procurando mais informações sobre o seu trabalho, sua maneira de ver o mundo. Arquitetura não é isolada da sociedade. Não existe projetar sem escolhas ou posicionamentos. Cada obra é um reflexo das ideias e maneira dos projetista enxergarem o mundo. E por isso mesmo é tão fascinante. Cada desafio é respondido de maneiras diversas por cada profissional. Exatamente por isso, gostei demais das descrições que eles fazem sobre o ser arquiteto:  "O trabalho do arquiteto não é fácil. Ele contém várias operações