Pular para o conteúdo principal

Desvirtualizando amigos - Do virtual para o real

Desvirtualizar é um verbo que aprendi a conjugar com a Samantha e Cia.
A primeira vez que o ouvi, ou li, foi numa conversa em 2012, onde ela comentava que tinha desvirtualizado pessoas, ou seja conhecido ao vivo e se mexendo pessoas que eram até então virtuais, amigos da internet. Eu adorei e elegi esse verbo e conceito como as minhas metas de 2013. 

E esse mês consegui desvirtualizar duas pessoas incríveis que conheci na internet ainda nos tempos dos grupos do yahoo. O Oscar Muller, arquiteto e urbanista, gente fina pra caramba, foi um dos primeiros grandes amigos arquitetos na web. Em seguida conheci sua esposa Sil e de lá para cá, já passou mais de década entre e-mails, mensagens de grupo, telefonemas e agora mais recentemente hangouts semanais. Com ele e mais um colega arquiteto que está na Holanda, o Wagner, mantemos esses papos sobre tudo e desenvolvemos trabalhos e propostas juntos que vão desde a criação da Synapsis, elaboração de artigos, lutas por mais sustentabilidade, sugestões sobre o novo Plano Diretor de SP e o desenvolvimento de uma franquia modelo em escolas. Formamos o braço arquitetônico da Synapsis, a Synarqs.

Quando conseguimos finalmente estar junto de pessoas com quem estabelecemos relações de parceria, amizade e comunhão de ideias estreitas é que vemos que os meios virtuais são realmente ferramentas de conexão. Poderosas ferramentas. Santas e valiosas ferramentas.  
Esse apartamento aí das fotos é de um amigo em comum e já rendeu dois posts aqui no blog Reforma vai criando loft e Da cama se vê a Lua.
O Marco e a Indy construíram seu apê com muito carinho e com suas mãos, reaproveitando materiais, criando espaços e o resultado é uma casa única! 


Poucas horas, mas deu para tomar um café no Copan e conhecer a Italianinha 
que, para uma semi gringa como eu, é um sonho. Adoro pães, adoro essa ambiente com cara de empório. Pão com berinjela comprado e lá nos vamos para a morada do Oscar e da Sil. Uma coisa que eu amo em São Paulo são essas vilas. Ao lado de uma movimentada avenida e tu nem sente que está em uma metrópole fervilhante. Aberto o portão da vila, é pura tranquilidade.

Entrar em um projeto que se conhece de imagens e que se acompanhou a obra por emails é sempre fascinante. A mente de arquiteto faz as imagens do que não vê...O Oscar é daqueles Arquitetos com A maiúsculo que inventa, que faz acontecer. Cada canto da casa tem uma surpresa, um móvel que corre e revela um banheiro, um degrau que sobre e vira porta, uma geladeira que não se compra em loja, um botão no chão que liga a torneira. Gateiros como eu, as suas Marly e a Pagu tem cantos especiais na casa de onde podem controlar o movimento sem serem vistas. Um dia ele ainda escreve sobre sua casa. Ou me deixa escrever.  



Desvirtualizar é uma das metas desse ano que mais tem me dado prazer. Acho que vou ampliar para mais e mais anos. Vou deixar como meta permanente. E para simbolizar essa visita, o elefantinho da coleção da Sil agora na minha. Obrigada queridos, obrigada Vida!
Autor : Elenara Leitão

Comentários

  1. Cara amiga,

    se você gostou da "desvirtualizada", então imagine nós, que aproveitamos em dobro! Pena apenas o tempo escasso, mas é forçoso admitir, fosse quanto fosse, sempre seria pouco...

    Legal, agora nos irmanamos também nas manadas de elefantes! Agradeço pelo imerecido "A" maiúsculo, não estou com esta bola toda, é a sua generosidade falando, mas depois da tua visita, fica combinado assim: se algum dia houver algum escrito sobre minha morada, haverá de ser de tua autoria, e para tanto, será preciso nova visita, esta sem pressa, para que eu possa te mostrar cada pequeno detalhe, todos os erros e acertos, o que certamente vai levar algum tempo, para meu deleite pessoal!

    Maravilha ter trocado o abraço presencial há tanto protelado, agora quero mais!

    ResponderExcluir
  2. Nem preciso dizer que está hiper combinado, confesso que não quis perder tempo com fotografias, preferi gasta-lo com vocês já que era tão pouquinho. Abração

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi