Pular para o conteúdo principal

Projeto de reciclagem em 1991


Esse projeto foi feito pelo meu ex-sócio, Arq. Marco Antonio Gewehr Flores, no começo da década de noventa, quando a sustentabilidade ainda não era uma preocupação constante entre as pessoas. O teatro bar não existe mais, mas os conceitos usados se tornaram cada dia mais atuais.
HANGAR STÚDIO – TEATRO BAR
 
Teatro-bar. Um espaço versátil, com amplas possibilidades de uso, que preservasse as características originais do prédio, cuja estrutura de madeira, em forma de meia-lua, tem a mesma configuração dos abrigos de aviões, daí o seu nome: Hangar Stúdio. 

Construído originalmente para ser urna fábrica de barcos, se encontrava desocupado. Revitalizar esse espaço» trazendo-o de volta ao convívio da cidade e reciclar seu uso, ampliando suas funções. Um espaço de trabalho que se transforma em um espaço de lazer para alguns e de trabalho para outros.

As dificuldades eram várias: o prédio alugado, orçamento baixo e bairro sem tradição neste tipo de proposta. Mas a criatividade e a determinação de buscar o melhor resultado, aliadas e respaldadas por um trabalho sério de pesquisa são um excelente antídoto para qualquer barreira e as propostas foram sendo definidas. Como premissa básica o uso de materiais retirados do chamado lixo urbano e considerados até algum tempo atrás como descartáveis.

Tijolos de demolição assumidos como elemento básico de intervenção no espaço, tanto interno quanto externo. Dormentes de linha férrea, usados com toda a sua força por meio de encaixes, dispensando o uso de pregos, revitalizados em sua função de conduzir a novos rumos. Senão físicos, lúdicos. E culturais. Porque onde antes existiam máquinas, hoje se ergue um palco. Com 30,00 m2 ele pode abrigar tanto uma peça de teatro quanto uma apresentarão de bairro. Espaços que se ampliam...

O resgate de materiais considerados não nobres, porém duráveis e de baixo custo, levaram ao uso da granitina no piso, que com seu xadrez nos lembra jogos, brinquedos, prazer. Signos...O quadrado e o meio círculo usados de várias formas, no exterior como referência e marco de fachada. E repetidos no interior. Intencionalmente porque acreditamos que a consciência ecológica não se resume apenas na preservação e reciclagem dos aspectos materiais, mas principalmente no resgate de nossos signos e valores básicos. Da "ludicidade” da responsabilidade de usar séria e concretamente a nossa capacidade de brincar e criar" Por isso um espaço em que as pessoas fossem parte integrante do movimento e onde o uso das cores básicas dos materiais ressaltasse o colorido do usuário. Este a peça chave de todo o conceito.

Romântico? E o que seria de nós sem essa ideia romântica de nos expor, colocar para fora as entranhas ? Desde que o primeiro homem/mulher subiu em um palco e começou a consolidar aquilo a que chamamos cultura, essa exposição de verdades faz parte de nossas vidas. Espacialmente essa referência se faz presente. Os materiais são mostrados e assumidos como parte integrante da decoração. O tratamento termo-acústico, fundamental na proposta, por se tratar de uma zona residencial e pela forma curva e a telha de zinco que recobre a cobertura e favorece a ressonância, foi executado em lã de vidro jateada sob a estrutura e aproveitado como elemento plástico, já que sua cor clara desmistifica a ideia de lugares noturnos como locais escuros.

A nossa responsabilidade social como arquitetos nos leva a ter em mente sempre uma preocupação muito grande em relação ao aspecto economia de energia aliado ao conforto térmico. Descartamos a ideia fácil (porém dispendiosa a curto e longo prazo) de aparelhos de ar condicionado e preferimos a solução mais indicada tecnicamente» de usar a diferença térmica do ambiente, utilizando um sistema de ventilação por meio de aberturas inferiores e ventiladores e exaustores no teto.

Uma obra de custo baixo, revitalizando um espaço para o convívio do bairro, reaproveitando materiais usados e outros em desuso, todos de fácil manutenção e principalmente ampliando o espaço cultural da comunidade. Talvez uma ideia romântica de que é possível em época de crise (*) apostar em qualidade e ousar. Concretamente.
(*) Aliás, em chinês o sinal que representa a palavra crise é o mesmo que representa a palavra oportunidade.

EQUIPE TÉCNICA
Projeto arquitetura : Arq.Marco Antonio Gewehr Flores
Colaborador: Arq.Elenara Stein Leitão
Execução :Eng Ephraim Tabasnick
Projeto Elétrico: Eng.Alvaro Lemos
Iluminação artística: Arco íris
Fotos: Renato Rimoli

DADOS DO PROJETO
Obra: Hangar Stúdio/teatro-bar
Local: R. Armando Barbedo 257, Tristeza, Porto Alegre/RS
Data: 1991

Autor : Elenara Leitão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maior ponte sustentável em madeira conecta pessoas na Holanda

A  província de Groningen, na Holanda é conhecida por ser a capital ocidental do ciclismo . Para unir as localidades de  Winschoten e Blauwestad foi construída a maior ponte sustentável em madeira da Europa, a  ponte Pieter Smit , com 800 metros de comprimento. Ela cruza águas, uma rodovia e uma zona ecológica e possibilita que pedestres e ciclistas as cruzem e acessem por três locais. A construção foi feita com madeira certificada, iluminada por lâmpadas led de baixo consumo. Além disso, houve a preocupação de plantar árvores para que ela não atrapalhasse a rota dos morcegos locais. Outros pássaros também foram lembrados com caixas (na parte de baixo da ponte) e paredes de areia para ninhos. Fonte   Imagens: Blauwestad Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook   Instagram   Pinterest

John Lautner - um arquiteto que aliou beleza à funcionalidade

Walstrom House Gosto de pesquisar casas com um toque de aconchego e que possam servir de inspiração para futuras residências compartilhadas com amigos , e esta imagem me chamou a atenção no  pinterest . Pensamos em algo no estilo Tiny Houses , mas não descartamos ideias incríveis como as desta casa. Olhando o interior, me apaixonei e fui em busca de mais informações sobre ela e seu autor. Foi assim que descobri John Lautner .   Walstrom House - foto de Jon Buono Esta casa de madeira, batizada de Walstrom House, foi construída em 1969, em Santa Monica, na Califórnia. Seu arquiteto foi  John Lautner , um dos primeiros aprendizes de Frank Lloyd Wright, no primeiro grupo de Taliesin Fellows. Nascido em 1911, e sendo sua mãe, Catheleen Gallagher, desenhista de interiores e talentosa pintora, a teve como influência na sua opção pela arquitetura.  Sua carreira foi marcada por grandes aprendizados. Além do mestre FLW, também manteve parcerias com Samuel Reisbord, Whitney R. Smith e Douglas H

Errar é humano, não resolver é insano

Errei sim. Adoraria dizer que fui perfeita e eficiente a maior parte da minha vida. Mas não seria verdade. Procurei ser, o que me dá um certo crédito.  Mas sempre surgem aqueles momentos em que algo dá errado. Seja no projeto ou na obra.  No projeto, as causas mais frequentes, na minha experiência, são problemas na medição dos espaços e um briefing não muito completo. São etapas fundamentais para o bom andamento de qualquer projeto. Uma das maneiras que procuro agilizar, nas medidas, é buscar o maior número possível de informações sobre o espaço a ser medido. Muitas vezes garimpo fotos de venda e procuro, se não existe planta disponível, fazer uma planta baixa baseada nas fotos. Poucas vezes erro. Mas mesmo assim, ainda me passo nas medidas. São muitos detalhes que devem ser checados, é preciso organização e muitas fotos auxiliando a memória. A entrevista com cliente é outro ponto a ser observado. Muitas vezes quem paga não é o que decide. Observar e entender as dinâmicas das pessoas n

Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida

"Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida." Continuo com o mesmo processo de busca de inspirações para escrever no blog: a intuição, o sentimento. Olho, pesquiso e de repente uma imagem me diz alguma coisa. Foi o caso dessa biblioteca no jardim . A primeira coisa que pensei foi: que coisa maravilhosa, queria uma assim para mim!! Quero saber mais quem fez isso!! E cheguei aos arquitetos do  Mjölk Architekti .  Passeei pelo site deles, olhando as obras, procurando mais informações sobre o seu trabalho, sua maneira de ver o mundo. Arquitetura não é isolada da sociedade. Não existe projetar sem escolhas ou posicionamentos. Cada obra é um reflexo das ideias e maneira dos projetista enxergarem o mundo. E por isso mesmo é tão fascinante. Cada desafio é respondido de maneiras diversas por cada profissional. Exatamente por isso, gostei demais das descrições que eles fazem sobre o ser arquiteto:  "O trabalho do arquiteto não é fácil. Ele contém várias operações