Pular para o conteúdo principal

Projeto de reciclagem em 1991


Esse projeto foi feito pelo meu ex-sócio, Arq. Marco Antonio Gewehr Flores, no começo da década de noventa, quando a sustentabilidade ainda não era uma preocupação constante entre as pessoas. O teatro bar não existe mais, mas os conceitos usados se tornaram cada dia mais atuais.
HANGAR STÚDIO – TEATRO BAR
 
Teatro-bar. Um espaço versátil, com amplas possibilidades de uso, que preservasse as características originais do prédio, cuja estrutura de madeira, em forma de meia-lua, tem a mesma configuração dos abrigos de aviões, daí o seu nome: Hangar Stúdio. 

Construído originalmente para ser urna fábrica de barcos, se encontrava desocupado. Revitalizar esse espaço» trazendo-o de volta ao convívio da cidade e reciclar seu uso, ampliando suas funções. Um espaço de trabalho que se transforma em um espaço de lazer para alguns e de trabalho para outros.

As dificuldades eram várias: o prédio alugado, orçamento baixo e bairro sem tradição neste tipo de proposta. Mas a criatividade e a determinação de buscar o melhor resultado, aliadas e respaldadas por um trabalho sério de pesquisa são um excelente antídoto para qualquer barreira e as propostas foram sendo definidas. Como premissa básica o uso de materiais retirados do chamado lixo urbano e considerados até algum tempo atrás como descartáveis.

Tijolos de demolição assumidos como elemento básico de intervenção no espaço, tanto interno quanto externo. Dormentes de linha férrea, usados com toda a sua força por meio de encaixes, dispensando o uso de pregos, revitalizados em sua função de conduzir a novos rumos. Senão físicos, lúdicos. E culturais. Porque onde antes existiam máquinas, hoje se ergue um palco. Com 30,00 m2 ele pode abrigar tanto uma peça de teatro quanto uma apresentarão de bairro. Espaços que se ampliam...

O resgate de materiais considerados não nobres, porém duráveis e de baixo custo, levaram ao uso da granitina no piso, que com seu xadrez nos lembra jogos, brinquedos, prazer. Signos...O quadrado e o meio círculo usados de várias formas, no exterior como referência e marco de fachada. E repetidos no interior. Intencionalmente porque acreditamos que a consciência ecológica não se resume apenas na preservação e reciclagem dos aspectos materiais, mas principalmente no resgate de nossos signos e valores básicos. Da "ludicidade” da responsabilidade de usar séria e concretamente a nossa capacidade de brincar e criar" Por isso um espaço em que as pessoas fossem parte integrante do movimento e onde o uso das cores básicas dos materiais ressaltasse o colorido do usuário. Este a peça chave de todo o conceito.

Romântico? E o que seria de nós sem essa ideia romântica de nos expor, colocar para fora as entranhas ? Desde que o primeiro homem/mulher subiu em um palco e começou a consolidar aquilo a que chamamos cultura, essa exposição de verdades faz parte de nossas vidas. Espacialmente essa referência se faz presente. Os materiais são mostrados e assumidos como parte integrante da decoração. O tratamento termo-acústico, fundamental na proposta, por se tratar de uma zona residencial e pela forma curva e a telha de zinco que recobre a cobertura e favorece a ressonância, foi executado em lã de vidro jateada sob a estrutura e aproveitado como elemento plástico, já que sua cor clara desmistifica a ideia de lugares noturnos como locais escuros.

A nossa responsabilidade social como arquitetos nos leva a ter em mente sempre uma preocupação muito grande em relação ao aspecto economia de energia aliado ao conforto térmico. Descartamos a ideia fácil (porém dispendiosa a curto e longo prazo) de aparelhos de ar condicionado e preferimos a solução mais indicada tecnicamente» de usar a diferença térmica do ambiente, utilizando um sistema de ventilação por meio de aberturas inferiores e ventiladores e exaustores no teto.

Uma obra de custo baixo, revitalizando um espaço para o convívio do bairro, reaproveitando materiais usados e outros em desuso, todos de fácil manutenção e principalmente ampliando o espaço cultural da comunidade. Talvez uma ideia romântica de que é possível em época de crise (*) apostar em qualidade e ousar. Concretamente.
(*) Aliás, em chinês o sinal que representa a palavra crise é o mesmo que representa a palavra oportunidade.

EQUIPE TÉCNICA
Projeto arquitetura : Arq.Marco Antonio Gewehr Flores
Colaborador: Arq.Elenara Stein Leitão
Execução :Eng Ephraim Tabasnick
Projeto Elétrico: Eng.Alvaro Lemos
Iluminação artística: Arco íris
Fotos: Renato Rimoli

DADOS DO PROJETO
Obra: Hangar Stúdio/teatro-bar
Local: R. Armando Barbedo 257, Tristeza, Porto Alegre/RS
Data: 1991

Autor : Elenara Leitão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casa Kiah, um santuário sustentável forte e positivo com home office

Uma herança que a pandemia de 2020 nos lega é uma maior consciência com os nossos espaços residenciais. Fomos obrigados a conviver full time em nossas casas, as usando como local de trabalho e não apenas como dormitórios. Isso fez com que o olhar se tornasse muito agudo para as necessidades e as deficiências a corrigir. Não a toa o boom de reformas e mudanças daqueles que podem se dar a este luxo no período após muitos meses isolados. Eu mesma tenho escrito menos no blog e isso é consequência direta de toda a gama de emoções que afloraram neste período onde portas se fecham e janelas se abrem .  Por isso achei interessante como assunto de volta, trazer esta casa australiana que contempla exatamente essa necessidade de focar em espaços de qualidade em uma casa de campo. Um casal, seus três gatos e a vontade de um "santuário forte e positivo" que incluiu, na reforma da residência, um dormitório que fosse mais que um local de dormir e um espaço para trabalhar com conforto e aleg

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de  Foster + Partners  foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia. Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito. Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado.  A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convi

Calungas, a representação da escala nos desenhos

Fonte Embora as fotografias de Arquitetura raramente tenham seres humanos, as representações gráficas dos projetos as tem. As calungas. Este nome esquisito foi o que aprendi a nominar a representação humana nos desenhos, a tal da escala humana, que mostra de maneira mais clara como os espaços se conformam em proporção aos nossos corpos.  Fonte Hoje é muito comum que tenhamos blocos de seres humanos, animais e plantas em todos os programas gráficos. E há sites onde podemos buscar figuras das mais diversas etnias e movimentos para humanizar nossas plantas e perspectivas. Me lembrei das calungas ao falar com um colega arquiteto, bem mais jovem que eu, que me mostrou fotos de projetos da década de 80, com simpáticas figuras, simulando movimentos. E, para minha surpresa, ele nunca tinha ouvido falar do termo calunga. Como eu nunca tinha parado para pensar sobre isso, fui dar uma rápida pesquisada e achei que o termo tem origem africana  e talvez tenha vindo em função das b

Apartamento pequeno para jovem casal

Mescla de materiais e cores claras fazem deste pequeno apartamento, um ambiente muito agradável para um jovem casal. Projeto do estúdio  Art Ugol . Mesmo sendo um imóvel pequeno, o projeto consegue manter a privacidade com áreas de cozinha e estar bem resolvidas e que parecem amplas. A planta baixa nos mostra que existe uma pequena entrada com o banheiro e área de cozinha localizados a esquerda, onde se pode ver as áreas de colunas hidráulicas. Os arquitetos localizaram grandes armários na entrada, um deles servindo de divisória para um nicho onde, sobre um estrado com gavetões, colocaram o quarto. Na verdade a cama, que é escondida com uma grande cortina que confere privacidade ao ambiente. Para harmonizar com a área de estar, criaram um painel em madeira que serve como um grande rodapé divisor da parede, gerando dinamismo e ao mesmo tempo aconchego e iluminação. A cozinha é ampla com o uso de madeira e branco que são usados em todo o apartamento. Estes materiais são que