Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2016/08/03

10 espaços encantadores para a leitura

Do momento em que aprendi a ler. Lembro.

Meu pai costumava ler os gibis para mim. Era hábito sagrado. Os Tios Patinhas, Pato Donald e Zé Carioca faziam parte daquele ritual onde ele se deitava após o almoço e lia. E eu, escutava. Memorizava acho, como os livros que sabia de cor -e meu primo que fazia serviço militar e morava conosco tão bem sabia. Pulava as páginas e eu mais que ligeira, na empáfia dos três anos corrigia: Não, Flavinho! E desfiava a ladainha que já se cristalizara em minha mente.

Aos sete, já no colégio, aprendi de maneira tão gostosa. Com direito a teatrinho de marionetes. Não sei que método era. Nem sei se era algum ou invenção da professora daquele colégio público do interior do Rio Grande do Sul. Só sei que era muito bom.

Um dia deu o estalo! Lembro que disse para meu pai: não precisa mais ler, "paizinto*", eu já sei! Lembro também da desilusão dele ao perder a desculpa de ler os gibis. (Cá entre nós, acho que mais, acho que gostava sim daqueles momentos de ternura e cumplicidade de leitores. Tanto quanto eu.)

Ele me contou também do seu estalo! Quando descobriu que sabia unir aquelas letrinhas, lhe deu um troço! Começou a ler tudo o que havia na casa, frenético. e nunca mais parou de ler. Até o fim da sua (longa e maravilhosa vida!).

Era para ser só uma postagem sobre cantos de leitura. Acabou sendo uma lembrança/homenagem à ele. Vocês que amam seus pais, entenderão. Espero. 

De tanto ver meus pais lendo, acabamos todos nós, seus filhos, criando esse salutar hábito. E que foi passado para os netos e netas. E para os bisnetos. Ler é uma armadilha do bem!

E se a gente já lê em qualquer lugar, imagine quando criamos um espacinho especial e cheio de conforto para aconchegar nosso hábito de viajar pelas letras...     
FONTE
1- Uma poltrona gostosa me parece fundamental. E não precisa ser um espaço imenso. Um cantinho pequeno pode render um belo projeto.

FONTE
 2- Tem uma sacada? Melhor ainda! Sol e livros são uma combinação perfeita!
FONTE
 3- Aproveitar todos os espaços sempre é um coringa nas nossas casas. Aquele vãozinho abaixo da escada pode abrigar um mundo e pode até render leituras em boa companhia.
FONTE
 4- Outra ideia de cantinho na sacada ou jardim. Cheio de cor e inspiração. 
FONTE
 5- Falando em cor, ela é super bem vinda em tecidos alegres e luminárias em cores vivas. 
FONTE
 6- Estantes mais rústicas e chaise acolhedora fazem um cantinho todo especial, cheio de charme e possibilidades.
FONTE
 7- Revestimentos como papéis de parede que remetam à livros e/ou leitura podem incrementar uma área convidativa. Usar um carinho de chá para acomodar os próximos livros é um convite à degustação. (leitores entenderão) 
FONTE
 8- Elegantes e refinados também podem ter seus cantos de leitura repletos de classe.
FONTE
9- E mesmo a elegância casual e mais romântica pode ter seu estilo bem traduzido em um espaço cheio de luz e conforto.
FONTE
10- Mais requintados ou mais simples, não importa. O que importa é ler, é se cercar de lembranças do bem e saber que se aprimorar, saber mais e mais só te faz uma pessoa mais interessante. E possivelmente melhor para o mundo.

*- tenho essa mania de criar apelidos derivados de palavras. O Paizinto veio de Paizinho. E foi se derivando até virar "Zintinho". E ele amava! 


Leia também:


Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest 
snapchat: arqsteinleitao

Comentários
0 Comentários

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More