MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Construindo com lixo plástico

Transformar um problema em solução. É a proposta da start up neo zeolandesa
ByFusion através do invento do engenheiro Peter Lewis que desenvolveu uma máquina portátil que transforma plástico reciclado em tijolos, chamados de REPLAST. 


Um dos diferenciais da máquina é a variedade de matéria prima que pode ser utilizada. Alguns tipos de plásticos demandam muito trabalho e custo para serem processados e reaproveitados com segurança e, por isso, acabam não sendo utilizados. E segundo os fabricantes o sistema deles pode trabalhar com todos os tipos de plásticos descartados, "sejam limpos, contaminados ou misturados". 



Entre as vantagens do processo de confecção dos blocos, que podem ter várias utilidades na construção, estão o fato de ser menos poluente, ser de fácil transporte, funcionar à gás ou eletricidade e gerar um produto personalizável.      

O REPLAST, o bloco gerado a partir do lixo plástico, tem as seguintes vantagens, de acordo com o site da empresa:
  • Não requer colas ou adesivos para uso
  • Pode contribuir para a certificação LEED para a construção
  • 95% menos emissões gases de efeito estufa (GHG) em comparação com bloco de concreto
  • Elevado isolamento térmico e acústico
Segundo o que pesquisei, cada bloco consome 10 kg de plástico. E a máquina consegue produzir cerca de 250 tijolos/dia. 



Uma solução paliativa para um grande problema gerado pelo estilo de vida consumista e desperdiçado que viemos utilizando nas nossas sociedades. O ideal obviamente seria uma conscientização, menos uso e necessidade de objetos descartáveis no dia a dia. Mas como isso, a curto prazo, parece meio complicado, e o meio ambiente, principalmente os oceanos estão entulhados de resíduos plásticos, esse tipo de invenção parece ser uma pequena ajuda no problema. 

Imagens: Site da empresa

Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros