Pular para o conteúdo principal

Resiliência Urbana e Hedy Lamar

O fim de semana foi uma prova de sobrevivência. Para nós que moramos nas cidades ter acesso à infra estrutura básica como luz, água e...wifi se torna tão corriqueiro que nem nos damos conta de como é viver sem eles. Mas quando uma calamidade natural como a que se abateu sobre uma parte de Porto Alegre nesse 29 (31 ops) de janeiro de 2016 nos faz ficar 36 horas sem luz, sem wifi e com água (sorte no meu caso porque grande parte da cidade ficou sem) nos questionamos sobre como anda a nossa capacidade de resiliência urbana. 

A resiliência urbana: Capacidade de indivíduos, comunidades ou cidades de sobreviver, adaptar-se e crescer, não importando a intensidade dos impactos que venham a sofrer. Ao desenvolver um plano que observe esses aspectos, indivíduos, comunidades e as cidades se tornam mais capacitadas para responder aos eventos adversos, mantendo suas funções básicas e se recuperando rapidamente dos seus impactos. (Fonte)
Por ironia, uns poucos dias antes a cidade comemorava o fato de ser uma das duas cidades no Brasil (a outra é o Rio de Janeiro) a fazer parte do 100 Resilient Cities que é financiado e apoiado pela Fundação Rockefeller. 

Ainda preciso ler com calma toda a estratégia e a que se propõe a cidade para vencer esse desafio. Que aliás, espero de coração, seja amplamente enfrentado e implementado. Que estejamos preparados para enfrentar desafios como terremotos, inundações, tsunamis e um transporte público ainda aquém das necessidades da população. Uma das minhas principais críticas é sempre a falta de planejamento para o futuro da cidade. Portanto aplaudo qualquer iniciativa que mostre uma boa intenção de fazê-lo.


Talvez lá por 2022 estejamos mais prontos para responder com mais prontidão aos reveses. O que leio hoje me desanima.

Um dos pontos a favor de Porto Alegre é a sua arborização. Uma das maiores do país. Exatamente essa intensa quantidade de árvores se tornou um dos agravantes na falta de energia elétrica com o número delas que caíram integral ou parcialmente, carregando fios com elas. Uma das soluções seria um incremento de redes subterrâneas. Outro grande problema -e que tem já acontecido em outras tempestades menores é faltar energia elétrica nas estações de água o que ocasiona falta dela para o cidadão. Geradores nas estações seria uma solução. Infelizmente o que leio é que tudo isso é considerado inviável pelos custos. Assim como o aumento do efetivo responsável pela manutenção das redes. Também esbarra em custos...   

Há impactos que são impossíveis de prever com antecedência. Resta planejar para que a cidade e seus cidadãos sejam mais capazes de reagir com presteza e restabelecer a ordem (inclusive a infra estrutura necessária) o mais rápido possível. Exige criatividade e realmente muita resiliência...

E Hedy Lamar? O que tem a ver com isso?
  


Hedwig Eva Maria Kiesler era uma bela mulher, artista de Hollywood. Para mim parava aí. Mas não. Ela foi bem mais que isso. Foi a precursora na invenção de "um sistema de comunicações para as Forças Armadas dos Estados Unidos que serviu de base para a atual telefonia celular."(Wikipédia)

Sim, graças à ela temos wifi - uma das tecnologias que está se tornando tão necessária como água e luz como falei lá em cima.

Essa mulher que quebrou tabus aparecendo nua em um filme na década de 30, encantou um multimilionário vendedor de armas que a fez abandonar a carreira artística. Sob seu domínio, ela se voltou aos estudos de engenharia e aprendeu com ele sobre a indústria de armas. Com o marido se envolvendo com o nazismo, ela foge e vai virar artista nos Estados Unidos. Mais fantástico que qualquer filme. Uma mulher resiliente, bela e inteligente, que se torna peça chave em uma tecnologia fundamental. E da qual ficamos sabendo mais sobre sua aparência. Típico.

Que o plano de cidade resiliente vá além da aparência. É o que espero. 

Leia também:

Gostou? Tem alguma sugestão? 

Comenta e conta para a gente a sua opinião. 
Nos siga também nas redes sociais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e bem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Robôs no lugar de operários na construção civil. Não é futuro

Ao ler uma reportagem sobre os canteiros de obras sem operários e sobre as inovações na execução na construção civil, não posso deixar de lembrar da célebre foto de Charles C. Ebbets de 1932. Operários comendo tranquilamente sobre uma viga no 69º andar das obras do GE Building, em Nova York. Montagem (o que parece não ser) ou verdade, a imagem nos dá calafrios ao imaginar construções sem o mínimo aparato de segurança. 

Pensar que, menos de cem anos depois desta foto, estaremos debatendo não apenas construções mais gigantescas que as do início do século XX, mas a utilização de aparatos de robotização em projetos e execução que saem cada vez mais do campo da ficção para a realidade.

Contar com drones nos canteiros de obras, conectados à tablets ou smartphones, não apenas facilita como agiliza os serviços que antes contavam apenas com trabalho humano braçal. E muitas vezes com a sorte já que se localizam em locais mais inacessíveis ao olhar.
Segundo o artigo citado no primeiro parágrafo, &q…