Pular para o conteúdo principal

Viro carranca para defender a natureza e o Velho Chico

Arquitetando Ideias
Quando soube da campanha Eu viro carranca para defender o Velho Chico fiquei encantada. Primeira pela história que o rio São Francisco exerce sobre mim. Nunca esqueci das aulas de geografia e do velho rio da integração nacional. Um rio que passava por vários estados e unia povos e saberes. Outro motivo é pela intensa admiração que tenho pelas campanhas de mobilização das pessoas pelo patrimônio ambiental. Já falei disso aqui quando contei a história da rua mais bonita do mundo que fica em Porto Alegre e o motivo dela ter esse título: a união de seus moradores pela sua preservação.

Arquitetando Ideias
Recebi o material da campanha que conclama para que as pessoas se mobilizem para chamar a atenção sobre a necessidade de preservação e revitalização do rio.

Mobilize-se! Participe! Juntos vamos eleger o dia 3 de junho como o Dia Nacional em Defesa do rio São Francisco!

E foi quando me dei conta que sobre a minha mesa da sala repousa um livro desde muito que se chama....Rio São Francisco : o rio da unidade. Repleto de fotos que retratam a história e contam mitos, inclusive sobre a origem das famosas carrancas e que hoje são o tema da campanha que pretende chamar a atenção de todos para o Velho Chico e sua defesa. 

Arquitetando Ideias
O rio, exuberante na sua origem, vai sendo utilizado como potencial gerador de recursos hídricos e de geração de energia. Mas um rio tão importante é também alvo de muito descuido que deve ser evitado. Quatro grandes temas são alavancados para chamar a atenção: REVITALIZAÇÃO, VAZÃO ECOLÓGICA, POVOS DA BACIA E DISPONIBILIDADE HÍDRICA.
Arquitetando Ideias
E aí também me lembrei de um filme que vi faz muitos anos sobre um célebre coronel da região: Delmiro Gouveia que cria uma fábrica de linhas de algodão nas margens do Velho Chico, com boas casas para os funcionários, que foram alfabetizados e receberam condições de vida e higiene revolucionárias na época. E com isso prospera. Uma empresa internacional tenta comprar sua fábrica. Ele nega e mais tarde é morto de forma que nunca foi explicada. A tal empresa acaba comprando a sua, a desmonta e joga as peças no rio. E o seu sonho de progresso é morto com ele.

Me lembro que o filme terminava com um trabalhador dizendo que o dia que o povo trabalhador descobrisse seu valor, ninguém o segurava mais. Não se eram exatamente essas as palavras do filme, mas foi o que me ficou. E descobrir o seu valor é também saber lutar pelo que lhe importa. (veja AQUI o filme)

Autor : Elenara Leitão
Arquitetando Ideias
Então, quer ajudar a divulgar a campanha? Algumas ações podem ser feitas conforme sugestão do site
  • Divulgue o hotsite (www.virecarranca.com.br)
  • Altere sua foto nas redes sociais
  • Mude a  capa do Facebook
  • Poste fotos do Velho Chico no Twitter, Facebook, Instagram e Google+,  usando a hashtag  #virecarranca
  • Compartilhe as publicações da página da fanpage do CBHSF sobre a carranca.
  • Coloce o banner da campanha em blogs e sites.
Fotos: imagens do Livro Rio São Francisco : o rio da unidade
PS: Palavras do final do filme (para quem ficou curioso)  

"Agora, o povo daqui nunca esqueceu o Coronel. A fraqueza do Coronel é que ele era só, sozinho mesmo, e aí atiraram nele e mataram a fábrica. Tenho pra mim que ele foi como um exemplo pra nós tudo....penso também que o dia em que o povo fizer as fábrica pra ele mesmo aí num tem força no mundo qui pode quebra nem derruba, porque num tem força maior que o do povo trabalhador, que trabalha, como as máquinas, e pensa, que nem gente”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Espaço de marketing diferenciado usando contêiner

Um exemplo de como contêineres usados podem ser reaproveitados é o que vemos nesta proposta de construção modular da agência Work of Substance para a empresa Goodman, onde foram usados quatro módulos que formam seis espaços diferentes. 

Leia também : Conteiner - pense neles como solução


Interessante como conseguiram usar os conteineres de maneira aberta com grandes aberturas que unem o espaço interno com a natureza fora deles. 


Leia também: bar muito legal usando conteiner

Belos espaços de contemplação também são criados no andar superior. Com a vantagem da construção poder ser reutilizada em outros sítios, sem deixar maiores intervenções no local onde estava. 
Nos siga também nas redes sociais

TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest
snapchat: arqsteinleitao

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e bem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…