MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Arquitetos foram crianças também

Oscar Niemeyer Fonte
Pensando na brincadeira que sempre corre nas redes sociais na época de Dia das Crianças de colocar nossas fotos de crianças, me lembrei de procurar as de arquitetos. Não foi lá muito fácil, mas achei alguns. Oscar Niemeyer, Brunete Fracarolli, Tadao Ado. Talentos e trajetórias a parte o que tem em comum as crianças que se tornam arquitetas?
Brunete Fracarolli - Fonte
Talvez a curiosidade, a vontade de conhecer, a visão espacial mais a flor da pele. A vontade e a habilidade no desenho.
Tadao Ado
Pequeno Construtor
Me lembro de pequena de gostar muito de brincar com o pequeno construtor. Aliás era a brincadeira predileta de vários colegas, como constatei em redes sociais. Lápis de cor, papel e muito desenho! E achei uma postagem bem bacana em um site, o Artchoo, que fala em como despertar o arquiteto interno nas crianças. Nem tanto para torna-las profissionais da construção, mas mais para desperta-las para conhecer o espaço, coisa muito válida em todas as profissões.

Algumas dicas que achei ali:

  • Construir seu refúgio, seja com travesseiros, seja com caixas de embalagem, o importante é dar a noção de refúgio e pertencimento. 
  • Trabalhar e brincar com blocos - olha aí o Pequeno Construtor aí de cima. Se não tiver um, faça seus módulos. Quando pequena eu usava caixas de fósforos vazias. Hoje existem várias caixinhas que podem ser adaptadas, inclusive embalagens de iogurte, leite, etc.
  • Papel em branco e lápis de cor. Fórmula mágica! Experimente e veja como eles até deixam os eletrônicos de lado! E não apenas desenhar, peça que expliquem o que desenharam. Arquitetura não se resume a traços, ela é conceito que necessita de palavras.
  • Para crianças maiores trabalhe com noção de escala e proporção. Fazer maquetes ajuda bastante.
  • Use os programas de computador existentes - tem alguns grátis que podem ajudar a ter uma noção bem legal do espaço. Uma dos primeiras lições na faculdade era desenhar uma cena urbana e um espaço interno sem preocupação com perspectiva e sem réguas. Um bom exercício é desenhar sua casa. Primeiro sem preocupação com escala e depois medindo. Tudo isso ajuda a ter uma noção de espaço.
  • Estudar história e estilos de arquitetura. Comece em sua cidade. Veja um prédio interessante e vá atrás de sua origem, quem foi o arquiteto, qual foi o estilo...
Não precisa que a sua criança vire um arquiteto, mas que ela vai se divertir e aprender mais sobre o espaço que a rodeia, isso vai. Até para exigir mais qualidade quando crescer.     

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros