Pular para o conteúdo principal

Síndrome do Edifício Doente

Feito um bom projeto, uma boa execução e estamos combinados. Não! Um edifício, como tudo na vida, exige manutenção. Quanto mais complexo em instalações, especialmente as de condicionamento de ar, mais perigoso se torna. E as doenças decorrentes desse problema foram denominadas Síndrome do Edifício Doente.

Na faculdade de Arquitetura aprendi que sol e ar corrente são coisas extremamente preciosas em um projeto. Se tivermos condição de fazer uma ventilação cruzada, que é quando existem janelas de tal modo posicionadas que o ar corre na peça, isso será muito benéfico em termos de qualidade de saúde e vida. Mas...condicionar ambientes abertos exige mais energia. E essa se torna cada dia mais escassa. Especialmente da década de 70 houve uma grande crise onde a humanidade tomou consciência (ou começou a se assustar) com a possível escassez do petróleo que até então parecia inesgotável. Começaram a surgir alternativas de prédios que economizassem energia. E uma das maneiras era vedar. Vedar o prédio para que a climatização fosse mais econômica e racional. Bacana. Só que...como não havia troca com o ar externo e a sua consequente e necessária renovação, houve maior concentração de poluentes que geraram doenças. A tal da Síndrome de Edifício Doente.
Poluentes químicos como o monóxido e o dióxido de carbono (CO e CO2), amônia, dióxido de enxofre e formaldeído, produzidos no interior dos estabelecimentos a partir de materiais de construção, materiais de limpeza, fumaça de cigarro, fotocopiadoras e pelo próprio metabolismo humano, e os poluentes biológicos, como fungos, algas, protozoários, bactérias e ácaros, cuja proliferação era favorecida pela limpeza inadequada de carpetes, tapetes e cortinas, foram a causa do que se convencionou chamar de "Síndrome do Edifício Doente" (Sick Building Syndrome – SBS). Fonte

Alguns dos sintomas que podem acometer as pessoas são: irritação dos olhos, nariz e garganta, dor de cabeça, tonturas, dor de cabeça, entre outros.E quando 20% dos ocupantes do edifício sentem sintomas como esses, que se aliviam ao sair do prédio, esse é considerado um caso de SDE - Síndrome do Edifício Doente.   
Segundo o Inmetro,no final da década de 90 a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, órgão regulamentador do sistema de saúde, publica a Portaria nº 3.523, estabelecendo, para todos os ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo, a obrigatoriedade de elaborar e manter um plano de manutenção, operação e controle dos sistemas de condicionamento de ar
Um caso que causou grande repercussão no Brasil e alertou para o problema foi a morte do então Ministro da Comunicação do Governo FHC, Sérgio Motta, atribuída à falta de manutenção do ar condicionado de seu escritório. Várias medidas de controle e checagem foram criadas desde então, mas ainda há alertas de que essa etapa da manutenção deveria ser melhor pensada desde o projeto. Leia AQUI artigo de uma empresa de engenharia que lista problemas encontrados para fazer a manutenção desses sistemas.


Na verdade devemos estar atentos à complexidade do ambiente construído. Ele é bem mais do que projetar e construir. Essas etapas, para serem dignas do seu mister, tem que prever, tem que prevenir, tem que pensar que qualquer escolha ou especificação pode ser a diferença entre a saúde e doença de alguém. 

Posts relacionados à Saúde 

 Curta no Facebook  Assine no Flipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de Foster + Partners foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia.

Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito.

Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado. 


A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convida ao…

Wave House, debruçada na encosta como ondas no mar

Por onde se olha só se vê "cachotinhos" na Arquitetura. Emoldurados com vários materiais, porta gigantesca, uma que outra mudança, mas na forma quase tudo igual. Cansa, né. Talvez por isso esse projeto todo personalizado tenha me chamado a atenção. É único. Não obedece muitas fórmulas, aproveita uma vista maravilhosa no Rio de Janeiro e se debruça sobre o mar como ondas, a sua inspiração. Projeto de Mareines Arquitetura e Patalano Arquitetura

Um terreno estreito e magnifico, um projeto que aproveita a vista e usa a complexidade da cobertura de vigas curvas de madeira laminada para proteção contra o sol. Pilares de aço galvanizado suportam as vigas. 


Os espaços internos se estendem por quatro pavimentos, belamente decorados e unidos por escadas e elevador, quase todos privilegiando a vista sobre o mar e garantindo a privacidade dos moradores.


Gosto das soluções arquitetônicas que realmente se debruçam sobre o programa, sobre o terrenos e os condicionantes e vai além da receita d…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…