MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Construindo cidades saudáveis

Cidade saudável é aquela em que as condições oferecidas privilegiem o bem estar físico, mental e social de sua população. Para a OMS Cidade saudável é aquela que está continuamente criando e modificando seu ambiente físico e social e expandindo seus recursos para que as pessoas se capacitem a apoiar umas às outras, para que todos desempenhem a contento todas as funções da vida e desenvolvam ao máximo seu potencial (fonte)

A ONU já se preocupou com isso e elencou algumas condições para que uma cidade seja considerada saudável: respostas efetivas à população, capacidade de lidar com as crises, capacidade de modificação e renovação, dar condições para que sua população possa usufruir desse desenvolvimento.



Construção de ciclovias, equipamentos urbanos bem planejados, locais onde as pessoas possam andar favorecem a saúde da população e evitam gastos governamentais com doenças. Vejam os exemplos abaixo de cidades canadenses:

  • Canadá gasta cerca de $12 bilhões ao ano com tratamento de doenças ligadas à obesidade
  • 75 por cento dos fatores que influenciam a saúde ocorrem fora do sistema de saúde
  • Cada supermercado dentro de 1 km da casa de uma pessoa reduz a probabilidade de excesso de peso em 11 por cento
  • Caminhar por um bairro para comprar em lojas locais corta a probabilidade de obesidade em 35 por cento
  • Jovens adolescentes são 2,5 vezes mais propensos a andar se há um destino de lazer em um raio de 1 km de sua casa
Ou seja, promover a walkability em um bairro ou cidade pode fazer com que melhore a saúde geral da população. Assim como fazer a coleta de lixo, promover o saneamento básico, fazer com que as ruas tenham mais árvores e preservem o seu meio ambiente em parques e praças onde a população possa se divertir e caminhar, fazer esportes. Promover rotas de caminhada a pé, sem privilegiar o transporte por carros, com bancos e equipamentos com telhados verdes e/ou células fotovoltaicas, por exemplo, podem beneficiar as pessoas e ser uma ação pró ativa para o ambiente. Integrar as políticas de saúde, habitação, saneamento, habitação, lazer e transporte, fazendo com que a cidade saudável gere mais saúde em seus habitantes.  
    Fonte

    Dez requisitos definidos para Organização Mundial da Saúde (OMS) para uma cidade saudável


    1. ambiente físico limpo e seguro
    2. ecossistema estável e sustentável
    3. alto suporte social, sem exploração
    4. alto grau de participação social
    5. necessidades básicas satisfeitas
    6. acesso a experiências, recursos, contatos, interações e comunicações
    7. economia local diversificada e inovadora
    8. orgulho e respeito pela herança biológica e cultural
    9. serviços de saúde acessível a todos
    10. alto nível de saúde.
    Fonte
    Fonte

      Comentários

      Postagens mais visitadas deste blog

      Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

      Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

      10 ideias de almofadas e afins para gateiros