MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Biblioteca mineira em Bambu - um projeto de saber para o futuro

Essa biblioteca em bambu conheci por indicação de uma colega - a arquiteta Cris Haas. Além de adorar trabalhos com bambu e já ter escrito algumas postagens sobre o uso deste material (veja AQUI), o nome homenageia um grande brasileiro por quem tenho a maior admiração, Milton Santos.

Descobri que esse trabalho faz parte do Projeto Ravena 30 da BAMCRUS uma OSCIP mineira que procura gerar renda e trabalho para populações mais carentes através do conhecimento e uso do bambu como material viável para variadas aplicações. O projeto se propõem a estimular o cultivo de árvores nativas em consórcio com bambu para que num futuro próximo possa haver uma oferta dessa matéria prima no mercado mineiro, contribuindo assim com a melhoria econômica dos produtores. Pretendem também divulgar a Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e ao Cultivo do Bambu. O Projeto ainda visa a Educação para uma Cultura de Sustentabilidade através de uma parceria com escolas públicas e a formação de mão de obra especializada para trabalhar com o material através da oferta de cursos.

Foi em um desses cursos que foi construída a primeira biblioteca pública da comunidade de Ravena, MG, usando bambu, energia solar, captação de água da chuva, sanitário seco e paredes de terra crua. Segundo o site do curso se trata de uma "iniciativa da sociedade civil a ser realizada com recursos próprios. Uma obra social, educativa e cultural, para desfrute e empoderamento comunitário, sem a utilização de recursos públicos ou patrocínio de qualquer empresa. Sendo o projeto arquitetônico de autoria de Eric Crevels, estudante do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFMG, que decidiu, com o apoio e orientação das Professoras Dra. Silke Kapp e Dra. Margarete Maria de Araújo Silva, fazer do seu TCC – Trabalho de conclusão de curso, a realização de uma obra ancorada em processos construtivos sustentáveis."
Obra pronta
Na fanpage da Cerbambu podemos ver fotos da obra pronta e na de Lúcio Ventania as fotos dos detalhes construtivos da construção da biblioteca durante o curso.  
Maquete digital do interior do projeto

Fotos da construção
Obra pronta


Maquete digital da Biblioteca

E por fim meus parabéns aos idealizadores, aos autores e participantes deste projeto que resultou em uma obra bela, sustentável e que homenageia uma grande brasileiro. E que vai ter uma função nobre, levar cultura e conhecimento em forma da viagem pelos livros.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros