Pular para o conteúdo principal

Usinas fotovoltaicas - já são realidade no Brasil

Usar energia limpa e inesgotável (pelo menos em nossos termos de medidas humanos) é um desejo de quem se preocupa com a questão energética. Em um país reconhecidamente abençoado pelo sol, essa forma de captação já deveria ter sido mais explorada. (Para entender a insolação em simples palavras leia AQUI). As razões para que isso não tenha acontecido em maior escala são variadas, entre elas o ainda alto custo da instalação. Mas, se por um lado o custo das chapas fotovoltaica pode diminuir com a sua produção no Brasil, ainda restam alguns gargalos para que a implementação de captação de energia solar em grande escala seja maior, mas há propostas para sua inserção na matriz elétrica brasileira.

Assim, devemos aplaudir os esforços que estão sendo feitos para que tal aconteça, um deles a inauguração (de fato) da maior usina solar do país em potência: a Usina Cidade Azul, localizada na cidade catarinense de Tubarão. O nome da usina foi uma escolha da comunidade via internet e tem ligação com o nome da cidade. A própria localização da usina já foi uma escolha estratégica e simbólica por estar situada próximo ao Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, considerado o "maior complexo termoelétrico a carvão da América do Sul". O carvão, além de ser uma energia não renovável, é responsável por graves problemas de poluição na atmosfera.  

A usina de Cidade Azul (3W), apesar de não ser a maior em capacidade, como a Usina de Eneva (ex Tauá -CE- 5W), produz energia para abastecer cerca de 2.500 casas/dia. E é a maior usina solar em tamanho no Brasil com "19.424 painéis solares instalados em uma área de 10 hectares". É uma parceria da empresa Tractebel Energia com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e já está a partir de agora conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN).
Fonte
Um dado interessante desses projetos de captação de energia solar é que estão sendo testados na prática diferentes tipos de tecnologia para estudar qual se adapta mais às diferenças climáticas do Brasil. 

Segundo o gerente do projeto, engenheiro Maury Garret da Silva, "analisar a tecnologia que se adapta melhor às condições climáticas do País é muito importante, pois o desempenho dos painéis varia conforme temperatura e umidade. Na Usina, muitos equipamentos foram avaliados e testados antes de entrar em operação comercial, entre eles três tecnologias de painéis fotovoltaicos (silício policristalino, silício amorfo microcristalino e CIGS)  e cinco modelos de inversores.  O silício policristalino é a mais consolidada mundialmente, contemplando cerca de 80% do mercado de energia solar, mas apresenta maiores perdas com o aumento da temperatura ambiente. Já o silício amorfo microcristalino, tecnologia de filme fino, é a que possui menores perdas com o aumento da temperatura. Por fim, a CIGS, é um filme fino que apresenta perdas intermediárias devido à temperatura entre as duas tecnologias." (Fonte)

Existem atualmente no Brasil 164 usinas solares operando (dados da Aneel), mas ainda é pouco e existe um terreno grande a ser percorrido já que essa geração representa apenas 0,01% da energia consumida no país. Mas espera-se que o uso dessa fonte de energia cresça no país com a implementação da resolução 482/2012 que "permite que os brasileiros gerem energia, transfiram sua produção para a rede elétrica e, caso haja excedente, ganhem desconto na conta de luz pelo Sistema de Compensação de Energia."

O uso da energia solar, como as outras, possui vantagens e desvantagens.

Entre os pontos positivos podemos citar ser uma energia mais limpa, exigir manutenção mínima em suas centrais, o custo dos painéis vir diminuindo, ser uma boa solução para locais de difícil acesso e de pequena escala. 

Já entre as desvantagens pode-se citar o rendimento de apenas 25% dos painéis solares, pouca eficiência nas formas de armazenamento da energia solar, variabilidade na quantidade produzida dependendo da região de captação.

Podemos ver que no mundo existem exemplos de grandes usinas solares e o incremento de seu uso no Brasil talvez passe pelo exemplo de outros países, como o do modelo adotado no Reino Unido através de cooperativas já que sabidamente mais do que gerar, distribuir ou transmitir, cooperativas de energia proporcionam inclusão social e bem estar. Um modelo a ser mais estudado é o que vem sendo proposto pelo Instituto Tesla e que propõem, entre outros,  uma aldeia solar onde a energia solar fotovoltaica seria usada em aldeias indígenas e locais distantes.

A energia solar tem um largo uso já visto em:
Abaixo um vídeo que mostra, de maneira bem simples, como funciona a geração d energia fotovoltaica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

Mobiles, com ar de carnaval e fantasia

"Tanto riso, oh quanta alegria"....cantava essa música nos carnavais de antigamente lembrando dos Pierrots e Arlequins que brincavam no salão. E vendo esse mobile não pude deixar de sorrir e imaginar que gostaria de ter um assim no meu quarto, marcando a época dos confetes e serpentinas. 

Longe se vai o tempo em que pulava nos salões, em que saia na avenida de cidades do interior em blocos, em que ficava vidrada na frente da TV assistindo os desfiles de escolas de samba. Mas ainda muito me agrada as cores, a possibilidade de fantasia, do brincar, do poder ser algo diferente nem que se seja por uns dias.
E porque não trazer para dentro de casa essa fantasia em forma de mobile? Reuni alguns lindos que, com boa intenção e paciência, podem ser feitos em casa. Cor, movimento, criatividade. Eis a receita.
Pode deixar sair a poesia, pode reunir retalhos ou balas e guloseimas. O que importa é a brincadeira. Como no carnaval. 
Estrelas do céu enfeitam a vida das estrelas da terra. Amei …