MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Inspirações na natureza ajudam a construção

Já falei aqui sobre a Biomimética que é uma área onde a ciência procura aprender com a natureza. Pois agora li uma noticia super interessante sobre uma pesquisa na Universidade de Toronto onde um professor de engenharia Ben Hatton está estudando como diminuir os vazamentos de energia nas janelas através de recursos existentes na natureza, o que significa uma economia substancial nos custos de manutenção do conforto dentro das edificações.

Segundo os pesquisadores 
"os nossos resultados mostram que uma rede vascular artificial dentro de uma camada transparente, composta por canais de micrômetro a uma escala milimétrica e estendendo-se sobre a superfície de uma janela, apresenta um mecanismo de arrefecimento adicional e novo para a construção de janelas e de uma nova ferramenta para controlo térmico construção de projeto ". 

Traduzindo para uma linguagem mais leiga significa que organismos vivos na natureza mantém o controle da temperatura através de de redes vasculares internas. Nossas próprias veias são em exemplo disso. Elas se dilatam no calor e se contraem no frio para manter nossa temperatura nos níveis mais próximos dos ideais. A distribuição de seiva nas folhas também segue esse principio. Essa técnica poderia ser usada em painéis solares, por exemplo. Em geral esses estudos de meios inspirados na natureza tem se mostrado bastante simples e econômicos para gerar ambientes e componentes na construção.







A experiência consistiu em colar uma folha de plástico com o sistema vascular sobre o vidro de janelas. Com a água circulando (em temperatura ambiente) nos veios, conseguiu-se uma substancial diminuição da temperatura. Resta testar agora um material que seja bastante resistente.

Fonte

Fonte

Outra pesquisa bem interessante pode ajudar na limpeza de vidros, tornando-os bem mais escorregadios, podendo fazer, inclusive, que sejam auto limpantes e resistentes a arranhões.


A equipe de Joanna Aizenberg da Harvard Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas está pesquisando esse novo revestimento que é inspirado em uma planta carnívora, que através de sua super lisa e escorregadia superfície atraí insetos para sua alimentação. Veja o vídeo





Pesquisadores criaram o revestimento baseados na estrutura do favo de mel revestidos com uma substância química que forma uma pelicula que repele as gotas e água e óleo. As experiências mostraram que esse revestimento também reduz a adesão do gelo em uma lâmina de vidro, o que é de vital importância para evitar acidentes que a aderência do gelo provoca.




Fonte

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 motivos para NÃO fazer arquitetura