Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2016/08/29

Tem de ser equilibrista até o final - o Circo


O circo. Muitas e muitas vezes usado como metáfora de vida. Dessa nossa vida em que, as vezes, somos palhaços, quase sempre equilibristas e temos que fazer o show continuar. Seja com lágrimas, seja mambembe, seja alegre e vibrante. 

Sim. Metáfora de nossas vidas. Tantas e tantas vezes o circo nos é dado como forma de gotas de placebo em tempos de dificuldades. Outras tantas cabe a nós dançar e oferecer essas pitadas de palco e luz para a Vida que nos pede que a levemos com galhardia.
Tem de ser equilibrista até o final. E suando muito, apertando o cabo da sombrinha aberta, com medo de cair, olhando a distância do arame ainda a percorrer - e sempre exibindo para o público um falso sorriso de serenidade. Tem de fazer isso todos os dias, para os outros, como se na vida você não tivesse feito outra coisa, para você como se fosse a primeira vez, e a mais perigosa. Do contrário, seu número será um fracasso.Fernando Sabino

Fonte
O circo pode nos inspirar nas artes, nas festas (especialmente as infantis) e quase sempre traduz uma imagem de alegria ingênua. Quase pueril.
Fonte
Mas também sabemos que a memória histórica nos fala de circos nem tão inocente. Os circos romanos ofereciam sangrentas festas para acalmar as pessoas que não deviam ter muitas emoções boas em suas vidas. Ou essas deviam ser duras e era preciso mostrar que outras podiam ser piores...

Anfiteatro Flavio - Coliseu de Roma

Alto, pálido vidente,
caminhante do vazio,
cujo solo suficiente
é um frágil, aéreo fio!
Sem transigência nenhuma,
experimentas teu passo,
com levitações de pluma
e rigores de compasso.
No mundo, jogam à sorte,
detrás de formosos muros,
à espera da tua morte
e dos despojos futuros.
E tu, cintilante louco,
vais, entre a nuvem e o solo,
só com teu ritmo - tão pouco!
Estrela no alto do pólo.
Cecília Meireles (1901-1964)
Fonte
Talvez essa a função mor dos palcos. Nos mostrar que a Vida é sempre uma comédia. E que devemos nos equilibrar para manter nossas próprias histórias pessoais.
Procura-se um equilibristaque saiba caminhar na linhaque divide a noite do diaque saiba carregar nas mãosum fino pote cheio de fantasiaque saiba escalar nuvens arrediasque saiba construir ilhas de poesiana vida simples de todo o dia.Roseana Murray


Fonte
Inspiração renovada em formas digitais ou em trabalhos acadêmicos, o circo expressa irreverência. E farsa burlesca.
TFG - Estrutura Itinerante Polivalente - Camila Ennes
 E talvez por expressar esse lado lúdico, sirva de inspiração para ambientes infantis. E ressalte-se que suas formas podem ser expressas por pinturas, por exemplo.
Fonte
Real ou imaginário, o circo está no imaginário popular. E não raro, em nossas realidades diárias.  
Fonte
Artistas de plantão. Há que se manter o equilíbrio necessário para que a vida nos leve com harmonia. E as vezes há que se ser o palhaço - que segue em frente, mesmo com lágrimas no coração.





Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao  

Comentários
0 Comentários

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More