Publicidade

2014/12/18

Pintando azulejos com sugestões via web

Adoro contar boas experiências de trabalhos em nuvem e dando pitacos pela web. E cada vez que me deparo com os engarrafamentos das grandes cidades fico pensando que deva ser uma prática cada vez mais usada, mesmo quando o profissional e cliente moram na mesma cidade. Especialmente as grandes. Imaginem então quando se faz esse tipo de relacionamento com amigos que moram longe!


A Sam do A Vida como a Vida quer me pediu um auxílio para definir algumas mudanças na sua casa nova. Por sorte tive a oportunidade de ir a São Paulo e conhecer ao vivo o seu apartamento. Que é super agradável, tem áreas grandes e boas mas que necessita aqueles toques de personalização que a gente gosta de dar. Tanto a Sam como o Gui tem experiência em obras (afinal se conheceram quando cursavam o técnico de edificações!). 

Eles estão sentindo os espaços novos, se permitindo vivenciar o que funciona e o que realmente precisam. E estão esperando a caçula, Manu, crescer mais um pouco para encarar obras maiores. Nesse meio tempo vamos trocando ideias via messenger do Facebook e emails (sim, eles ainda funcionam bem, especialmente nas conversas que a gente quer arquivar e manter um histórico. Eu uso muito o Gmail para isso, tenho pastas para clientes e projetos - e é um meio fácil de acessar informações, não abro mão ainda). E usamos o Instagram nos marcando e usando tags (#arquitetandoideias e #arqsteinleitao ) para salientar as ideias que achamos interessante. Outro meio em nuvem que funciona é ter uma pasta no Pinterest e ali armazenar tudo o que nos interesse em imagens. A grande vantagem desse App é que ele não apenas armazena as imagens, mas também os links de onde foram tiradas. Eu acho super importante saber a origem para poder não apenas dar os devidos créditos, mas pesquisar o como são feitas e o conceito das soluções.  

Mas algumas intervenções puderam ser feitas desde já. Um exemplo bacana foi quando as Tintas Coral ofereceram a possibilidade de testar uma das novidades da marca: usar as novas cores da Wandepoxy Base Água que é uma tinta para renovar azulejos e pisos de banheiros e cozinhas, ou seja, uma alternativa para quem quer mudar esses ambientes sem quebra-quebra. (Adoro isso de não ter quebra- quebra - veja aqui uma outra experiência em uma cozinha).

Imediatamente começamos a conversar, já que a Sam me colocou como auxiliar no processo. E sim, arquitetos, cliente e fornecedores formam uma cadeia de conversas e possibilidades. E quanto mais for explorada, maiores as chances de um projeto sair ao gosto de quem vai morar.

O fornecedor entra não apenas com a oferta de produtos, mas com uma série de serviços como assessoria técnica de indicar as melhores soluções para os ambientes e as informações técnicas necessárias sobre o material, sua correta aplicação.

Por exemplo, para o quarto da Manu, a Coral indicou um dos novos lançamentos: o Coral Acabamento de Seda que é uma tinta acrílica com excelente cobertura e acabamento sofisticado, toque acetinado e é sem cheiro. As cores são lindas e podem ser acessadas AQUI.

Como eu tinha dúvidas sobre o uso da Coral Wandepoxy, principalmente dentro das áreas molhadas (sei que essas tintas tem que ser muito bem aplicadas sob pena de descascar) eles me forneceram uma série de informações técnicas e algumas instruções importantes para a aplicação:

  • - Fazer uma limpeza profunda da superfície, tirando resquícios de sabonetes, xampus, e afins;
  • - Ter atenção especial ao rejunte, que tem de estar em perfeitas condições para não ter infiltração de água;
  • - Após a limpeza, não usar a área e deixar secar por 3 dias;
  • - Sempre aplicar o produto na vertical (e não no piso);
  • - Após a aplicação, aguardar cinco dias para cura do produto. 

Sugestões de cores para a Sam e o Gui - usando imagens da Web e cores da paleta da Coral (app na web)

Começamos então intensa troca de mensagens via Face. A ideia original era fazer um hangout (do Google+) para podermos falar e ver os ambientes, mas por problemas de nossas agendas, não deu. Mesmo assim deu para trocarmos fotos do local e comecei a sugerir esquemas de cores. A principio a ideia era usar nos banheiros mesmo.



Mas, como a vida é dinâmica e devemos interagir com ela e suas necessidades mais prementes, a Sam e família viram que a sua prioridade de alteração era o que ela chamou de o coração da casa, a cozinha conjugada com a sala. E com razão. Eles amam cozinhar, realizar as suas conversas de cozinha e ver as delicias de #2nerds na cozinha. Logo, aquele espaço com azulejos claros e porcelanatos também em tom de marfim ou bege não está deteriorado. Mas não tem nada a ver com eles! E isso incomoda quem mora. Assim a decisão foi testar a tinta nos azulejos da cozinha. E é um teste e tanto porque além de cobrir os azulejos, checar a resistência ao uso e limpeza, tem que resistir bem ao calor do sol da tarde que bate na cozinha toda envidraçada.... Sugestões de cor? Bingo! Tínhamos o mesmo entendimento: tom de cinza que escurecesse um pouco e harmonizasse com o granito existente. E do lado da arquiteta uma proposta desde que vi o ambiente de ousar em um estilo industrial usando algum tijolo a vista em algum local do ambiente. 

 
Cozinha original com azulejos e porcelanato claro e a Sam recobrindo os armários com papel adesivado

 Sim, mas qual cinza????? Quem já olhou uma paleta de cores de tintas, já sabe o drama. São inúmeros, puxando para todos os tons! Aí entram os arquitetos. Fiz uma seleção com várias nuances para que pudessem escolher.   
Propostas dos tons de cinza usando o App Coral Projetos
Aí outro impasse. Quando um gosta de um tom e o outro de outro. Como fazer? A Sam ficou curiosa se isso acontece com todo mundo. Sim, é super comum! Sem dúvida vou ter que falar um dia sobre como lidamos com isso (uma boa dose de psicologia é importante). 

Escolhida a cor - Cinza Relva - restava esperar o tempo em que haveria tempo para o casal se dedicar à pintura. Sim! Eles pintaram! E tem já uma bela experiência nesse campo, inclusive em atos voluntários. Mas se você não tem tanta experiência, mas quer tentar, corre para o Google e para as próprias linhas das empresas que dão valiosas dicas.



Testes de recobrimento da tinta. Sempre é bom fazer antes para testar o tom e a aderência

E eu aqui super curiosa! E eis que a cozinha surge super bonita. 


E o melhor, segundo a Sam e o Gui a cobertura da tinta é excelente, em madeira, metal, azulejo e até fórmica! Sim, eles gostaram tanto que pintaram os azulejos, as portas dos armários que precisavam de uma renovação (tanto que a Sam já tinha usado papel adesivado neles), as quinas de alumínio que evitam que as paredes se quebrem nos cantos (mas não são bonitas...) e até a porta do elevador!

Porta do elevador
Gosto dessas histórias da vida real porque além da interação bacana com as pessoas, a gente sempre aprende com o que dá certo e mesmo com o que não dá tão certo. No caso, o tempo foi longo, mas serviu para que se pensasse bem e consolidasse as escolhas. Já estou vendo a cozinha com toques de tijolo a vista, com luminárias coloridas e com uma mesa de madeira e cadeiras alegres....


E espero que a Sam e toda a família estejam felizes e tenham gostado da experiência. Eu gostei muito!

2014/12/17

Procuram-se arquitetos que ouçam mais

Nessa semana comemoramos no Brasil o dia do Arquiteto e Urbanista (15 de dezembro). 

Vivemos um interessante paradoxo. É uma profissão admirada por uma maioria de pessoas que buscam avidamente informações para incrementar suas casas e espaços de convívio. Mas, ao mesmo tempo, é um campo pouco debatido criticamente e seus profissionais, com honrosas exceções, se queixam de muito sacrifício e pouco reconhecimento. 
 


Lendo um artigo de como reconstruir a Arquitetura me deparo com um questionamento super válido, inclusive aqui:

"Até que ponto o potencial da arquitetura para melhorar a vida humana está se perdendo pela sua incapacidade de se conectar com os seres humanos reais?"

Muitas obras consideradas fantásticas pelos arquitetos, são vistas com estranheza por muitos leigos. E isso não é exceção. Grandes mestres concebem obras fabulosas para uma parcela muito pequena que pode arcar com os custos. Mas e a outra parcela? Estaremos sendo eficientes em responder aos desafios de um mundo carente de soluções, sejam urbanas, sejam em edifícios? Questões como mobilidade, eficiência energética, sustentabilidade, beleza x custos?


Interessante observar as inquietações que várias vezes dividi com colegas sobre essa questão, estar espelhada nesse artigo, mostrando que sim, são debates que são internacionais e mostram um perfil de profissional arquiteto que se espelha em grandes obras, se julga artista e acaba se esquecendo um dos princípios básicos da Arquitetura: aprender a ouvir. O olhar sensível e o ouvido atento fazem com que, antes de pensar em soluções bombásticas, nos debrucemos sobre os problemas que o cliente apresenta. E saibamos dar respostas adequadas à ele e ao meio ambiente onde a obra se localiza. 

Eles apontam, no artigo, que frente às tragédias que por vezes assolam o mundo, os arquitetos nem sempre estão preparados para as respostas mais adequadas. E pior, estão reproduzindo mundo afora, erros que tornaram nossas cidades lugares cada vez mais inóspitos e ineficientes. 



Isso reforça minha linha de procurar mostrar aqui soluções arquitetônicas que sejam sim criativas, mas que revelem um olhar também criativo e generoso sobre o cliente e suas necessidades. Soluções que busquem respostas no ambiente, que adéquem soluções para àquelas necessidades. Arquitetura que seja mais que uma escultura que satisfaça ao ego de uns e outros, mas "que sejam uma maneira de repensar a forma como respondemos às necessidades dos diversos públicos, projetando para eles e para os seus interesses, não para o nosso".  

Artigo original  

2014/12/16

Ideias para dividir espaços sem paredes sólidas

Dividir. Separar ambientes, definir espaços para funções. Nem sempre é necessário usar fechamentos sólidos, tipo paredes. Dá para dividir se forma mais sutil. Mais leve. E por vezes mais bonita. 

Um inspiração no muxarabi árabe em forma de divisória super estilosa. Fica elegante e dá um certo mistério ao local. 
Prateleiras para enfeites, livros, revistas. Separa mas une. Lindo efeito. 
E se as plantas e muito verde servirem para formar um quase jardim em uma trama metálica? Procure local com ar e uma certa luminosidade
Uma grade tipo as dos consultórios de fisioterapia servem para outras funções. Separar os ambientes, por exemplo.
Uma porta vazada. Mas não um desenho qualquer. Uma forma quase de arte e que permita a luz entrar em efeitos mágicos. 
Prateleiras geométricas fazem um volume moderno e não usual. 

E por fim, um biombo natalino! Um elemento vazado com galhos e muitas luzes transformam qualquer espaço comum em um reino encantado. 

Imagens: google e pinterest

2014/12/15

Apartamento minimalista com canalização a mostra

Esta reforma transformou um um apartamento de um apartamento de um dormitório em dois no simpático Cobble Hill, em Nova Iorque.

Mobiliário simples, onde a madeira confere o ar de aconchego para o desenho mais minimalista. E esse ar é realçado pela parede de tijolo que foi exposta dando um certo ar industrial ao espaço.  
 

Proposta aliás que os acessórios de tubulação de cobre personalizados ressaltam e dão um charme todo especial.Acho muito simpática e prática a canalização exposta. Em caso de manutenção evitam muitas quebradeiras de parede e minimizam transtornos e gastos futuros. E gosto do efeito.




Esta bancada que se move de acordo com as necessidades é um charme. Ferragens e um bom desenho a tornam realidade. 

Um espaço claro e limpo. E muito criativo. Gostei. Vi AQUI.

2014/12/14

Ideias bonitas para decoração de mesas nas festas de fim de ano


Época de festas, reunião com parentes e amigos. Faz parte da rotina de muita gente nos fins de ano. Haja ideia de como fazer uma mesa bonita.

Pensando nisso reuni algumas ideias que podem tornar sua refeição mais bonita e agradável. E nem precisa ser em dia de festa. Pode ser um momento só com a sua família. Ou mesmo só com você! 

Sempre penso em ideias que possam aproveitar o que já se tenha em casa. Reunir vidros de geleias ou azeitonas, por exemplo. Amarrar com fitas coloridas, colocar sobre um pedaço de madeira e encher de flores do campo! Não tem um pedaço de madeira? Usa uma bandeja! 

Quer uma ideia bacana para marcar o lugar das visitas? Que tal os pauzinhos de picolé ? Pode escrever a mão mesmo. Fica simpático em vasinhos de temperos que podem ser mimos para os seus convidados. 
Olhas as rolhas! Os amantes de vinho entenderão. Elas servem de suportes lindos para belos arranjos. E flores coloridas fazem toda a diferença em uma mesa! 
Que tal uma decoração diferente para a mesa? Simpáticos sacos de presentes? Podem acomodar os dos amigos secretos ou as lembranças para as pessoas. Use modelos simples e enriqueça com flores artificiais. Fica lindo! 
Simples caixas envolvem flores do jardim e ficam lindas. Simplicidade sempre é elegante! 
Olha mais reuso de garrafas e embalagens de vidro!  Faça um arranjo de formas diferentes em uma bandeja ou caixa e coloque flores singelas em alguns. Fica muito charmoso! 
É uma ideia bem bacana que sempre me lembra prosperidade e fartura! Um arranjo com frutas e grãos! Lindo para um bufê! 

Viu como é simples fazer um momento especial com elementos que se encontra em casa? Um pouco de criatividade e amor fazem milagres sempre! 

Boas Festas! 

2014/12/13

Ações em sustentabilidade - Coca Cola Brasil #vivapositivamente

Terminando 2014 com uma viagem de surpresa ao Rio de Janeiro.
O Rio, não debalde chamado de cidade maravilhosa, sempre me surpreende com a sua beleza natural. Acordar e ver essa imagem é daquelas experiências que a gente tem que ter pelo menos uma vez na vida. Devia fazer parte da cesta básica brasileira....

Já falei que o blog faz parte da plataforma Viva Positivamente da Coca Cola Brasil. Este ano tive a honra de representar os blogueiros junto com a equipe da Otagai Mídias Sociais, no lançamento do Relatório de Sustentabilidade 2012/2013 da Coca Cola Brasil. 

Durante esse convívio como colaboradora do portal tive a oportunidade de visitar e conhecer várias das ações sociais desenvolvidas pela empresa. E com algumas gratas surpresas. Quando penso em super mega empresas como a Coca Cola, sempre penso em negócios, cifras, logística, produção, enfim tudo o que faz um negócio prosperar e dar muito lucro. Saber que além disso, existem pessoas e ações que transformam a missão de inspirar otimismo e fazer a diferença em realidade é sempre gratificante. E sim, eu sei que as empresas fazem isso visando agregar valor às suas marcas e ampliar seus mercados. Mas também sempre aprendi que uma relação de ganha-ganha é um dos segredos do sucesso na vida. Seja nas relações pessoais ou profissionais.

Eu já tinha estado ali em um dos primeiros eventos que fui do Viva 2.0 (vejam no link acima a experiência). Interessante como a gente sempre aprende coisas novas quando revisita algo. Nosso olhar sempre aponta novos focos e novos pontos de atenção que tinham passado desapercebido em outros momentos. Outros nos captam sempre como a minha paixão pela garrafa original da Coca Cola. Sou fascinada por ela. Fico imaginando quem bolou isso no começo do século XX, quase 100 anos atrás. Olhem a sacada do design! Uma forma que marca e se torna una com o produto. Na verdade, ela representa o produto. Acho isso muito louco. 
E olhando de novo o inicio da história da Coca Cola, que é falada brevemente na visita à Fábrica, fiquei imaginando a construção de um case de muito sucesso. Ele nunca é isolado. Ele reúne um conjunto de inspirações e principalmente ações.  
Minhas lições pessoais
  • A)um bom produto, ou seja investir em conteúdo é fundamental. 
  • B)Incrementar e bolar inovações para que esse produto sempre se diferencie da concorrência. Serve para grandes e pequenos.
  • C)Cooperação - ou seja ação cooperada. Ninguém vence sozinho. Saber motivar equipes e agregar valor em pessoas é sinal de inteligência.
  •  Agora, para se tornar uma gigante, eu confesso que não tenho a fórmula....  
   
Sobre o Relatório de Sustentabilidade, dois pontos chave de intensificação nas ações da empresa foram salientados pelo Marco Simões

a) o empoderamento feminino - e no Brasil a ação se dá pelo Coletivo Coca Cola através da "valorização da autoestima, aliada à conexão com oportunidades de geração de renda". Tive a oportunidade de visitar um desses coletivos e realmente há uma mudança relevante na vida das pessoas envolvidas. E desde 2010 a empresa vem trabalhando no compromisso global 5by20 que significa gerar melhorias nas vidas de "5 milhões de mulheres através da Cadeia de Valor da empresa até 2020". Além disso achei bastante simpática a estratégia interna de 50/50, promovendo o crescimento das posições ocupadas por mulheres nos quadros de liderança da empresa. 

b) politicas de princípios e critérios de agricultura sustentável -  É pensando na qualidade de seu produto que a empresa vai ampliar a monitoração dos insumos desde a origem. Além disso a empresa está ciente da importância do setor agrícola como fonte de empregos e gerador de impactos socioambientais, sejam positivos ou negativos. Um dos exemplos é a certificação Bonsucro, construída junto com vários stakeholders.

Outro case salientado foi o Coletivo Floresta, que eu já tinha visto AQUI, que estabelece uma proposta de parceria com populações de extratores de comunidades ribeirinhas na Amazônia, respeitando as condições de meio ambiente e cultura locais e promovendo a capacitação e integrando à cadeia de fornecedores da empresa. É um trabalho que merece um olhar mais apurado, feito com muita paixão pelo pessoal responsável. Eu tenho vários questionamentos sobre ele (não necessariamente críticas) e um desejo sincero que seja uma ação benéfica para todos.     
 
O Edgar Hubner nos falou sobre os Jogos Escolares da Juventude. E apenas esse tópico mereceria uma postagem única. Um projeto lindo que reúne milhares de adolescentes entre 12 a 17 anos em prol do esporte, com apoio e exemplos de atletas consagrados. Gente, eu sou muito fã de iniciativas que promovam o esporte porque é uma maneira de estimular uma postura sadia e de bem estar. Sabem a máxima: mens sana in corpore sano? Pois é. Fiquem atentos aos atletas que se formam nessas competições. Show de bola!
 
Como diz uma mensagem que é distribuída para a garotada que participa dos jogo: "se você chegou até aqui, já é vitorioso e sabe a importância que o esporte tem em sua vida. Por isso, você é nosso aliado na missão de colocar todo mundo em movimento. Pode ser qualquer um, a parada é não ficar parado. Movimento é felicidade, contagia a gente e faz tudo ficar melhor."
 
E por fim, uma fala sobre a Cooperativa Polo pela Evelin, líder da Coop Futuro e da Thais Vojvodic sobre Reciclagem. Várias iniciativas foram faladas na área, como a Ref PET (embalagens retornáveis), a Bottle-to-bottle (garrafa PET feita parcialmente com outras garrafas recicladas). Além disso, o Instituto Coca Cola, por meio do Coletivo Reciclagem apoia cerca de 400 cooperativas de catadores no Brasil. E esse apoio foi incrementado durante a Copa 2014, fazendo com que algumas delas se tornassem Cooperativas Polo, como foi o case apresentado no encontro. 
 
Sou particularmente fascinada pelo cooperativismo e super aplaudo todas as iniciativas que as fortaleçam e portanto fiquei encantada pelas ações que a Coca Cola Brasil e o Instituto Coca Cola vem fazendo com o esporte e cooperativas. Isto é viver positivamente. Quem tiver interesse por ler o relatório de sustentabilidade, ele vai estar disponível no site da Coca Cola Brasil
 
Nesses anos de convivência com a empresa e, principalmente com os seus funcionários, posso confessar que admiro como eles são engajados e transmitem no que fazem os valores da empresa. Eu conhecia um antigo funcionário e via nele isso, e nunca tinha entendido direito até confirmar agora em um relacionamento mais estreito. Acho isso um ponto super interessante a ressaltar porque talvez explique um dos segredos de uma empresa se tornar gigante. 

Independente de se gostar ou não da marca, de se consumir ou não os produtos, uma empresa líder é um exemplo de superação e conquista. E cá entre nós, em a escolha sim, rigidez não, falo sobre a "questão de aprender a apreciar as coisas com a moderação da falta de exageros, das paralisações que determinadas ideias e soluções que acabam nos engessando a vida.." 

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More