Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2016/12/01

Construindo com robôs na China

A Arquitetura tem sido muito impactada com os avanços tecnológicos. Programas computacionais permitem que as mentes dos projetistas voem como nunca em soluções criativas, novos materiais são descobertos e/ou criados fazendo com que as possibilidades de usos sejam exponencialmente aumentadas. Então por que não unir uma velha e boa cultura construtiva com um novo modo de construí-la?
É o que propõem o stúdio chinês Archi-Union Architects ao projetar um espaço para exposições em Xangai, usando tijolos reciclados sendo construídos por robôs. A forma resultante é instigante e provavelmente não poderia ter sido erigida pelos meios tradicionais, ou seja, pelas mãos humanas.    

Formas mais fluídas, parecendo desafiar a lógica anterior de construção, foram geradas por softwares que também foram usados para programar os robôs construtivos. 
E não pensem que esta obra é pioneira no uso de auxílio mecânico em forma de robôs. Já há mais exemplos do uso de robôs na construção civil.








Fotos de Su Shengliang e Bian Lin

(Via)

Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao 

2016/11/30

Como móveis podem ajudar pacientes com câncer (será ?)

A chamada do artigo me fez parar e ler: puxa, que interessante proposta pensei comigo mesma. Quem já passou por hospitais sabe da necessidade de ambientes menos assépticos formalmente e mais ambientes com luz e calor que transmitam aconchego.

Projetar uma ala para pacientes com câncer, em Londres, me parecia um belo mote para um designer se debruçar e trabalhar com motivações, funcionalidade e saúde. Foi o que a designer alemã Gitta Gschwendtner pesquisou durante três anos com pacientes e equipes de saúde para criar um mobiliário que fosse atraente, propiciasse privacidade, mas também a aproximação de pessoas.

Um de seus conceitos foi criar um mobiliário que fosse estimulante. Será que conseguiu?

Leia também: Móveis em hospitais 
 A ideia da recepção em madeira como uma mesa que abrigue atendentes e paciente me parece simpática. Estar no mesmo nível e em contato com que trabalha, cuida, decide, é um fator que realmente traz mais conforto aos pacientes e familiares (e sei disso, porque já estive em várias internações para meus pais e, em situações de emergência, são bastante estressantes). 


As mesas que possibilitam reuniões e contatos entre familiares e profissionais também é uma ideia bacana. As linhas puras demais talvez para meu lado latino, atendam à uma estética germânica e/ou inglesa. Não vou entrar no mérito porque cada local deve ter seu estudo de simbolismos que vai resultar em um proposta formal. 
O uso de cores que setorizam as alas parece ser usado em vários hospitais. Já estive em alguns onde os andares eram marcados por cores diferenciadas. Há dois lados a analisar: um funcional: Marcar as áreas de recepção e procedimentos com cores marcantes como foi o caso do mobiliário dessa proposta, ajuda na localização. Por outro lado me desperta a curiosidade de como um paciente se sente nesses "bretes" com grades coloridas. Será que realmente a intenção de aconchego e proteção é conseguida? Ou pelo contrário, exacerba um desamparo com um mobiliário que não aparenta acolher como um colo? 

Arquitetura que cura

Confesso a vocês que esse projeto me traz um desconforto. Me passa uma certa frieza, uma coisa de falta de vida que um ambiente de saúde que pretenda motivar uma pessoa doente deveria ter. O que acham?

Leia também sobre um outro projeto, também na Inglaterra, onde a Arquitetura que ajuda no processo de terapia do câncer e que me parece mais 
humano.

(Via


Nos siga também nas redes sociais


snapchat: arqsteinleitao 

2016/11/28

Arquitetando ideias de um Natal minimalista

Natal começa cada vez mais cedo. Começa novembro e os shoppings e lojas se enchem de Noeis e árvores repletas de enfeites que trazem todo tipo de mensagem e significado. Algumas vezes com um certo exagero...

Quem sabe um Natal com árvores mais limpas? Um Natal minimalista?

 Uma proposta bem básica mas cheia de significado. Um caixote e um pinheiro. Simples. Elegante. E preciso.
Os presépios podem seguir a linha menos é mais. Insinuar formas e passar a mensagem. 
 Os presentes! Que tal deixar a questão monetária de lado e pensar em algo realmente significante para as pessoas? Uma carta escrita com carinho, uma tarde de conversa. Um presente feito com as suas mãos? Há tantas ideias criativas de presentes de Natal que podemos pensar e que passam longe dos shoppings...
Velhas latas ou baldes que se transformam com galhos de pinheiros bem arranjados também compõem um belo (e simples) enfeite natalino.
Uma composição delicada com objetos significativos e poucos galhos com mínimos enfeites já traduz o espírito de Natal com muita elegância. 
Galhos colados na parede com luzes. Eis sua árvore!
 Com ou sem calendários do advento, uma simples estrutura triangular já traz em sua forma a ideia do pinheiro natalino.  

 Assim, se você não curte tantos enfeites, ou quer apenas fazer um Natal diferente, pense em um despojamento de ornamentos. E quem sabe de Vida, já que Natal é uma data que simboliza a esperança de um nascimento. E portanto de renovação.  

Fonte das imagens - Árvores minimalistas

Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao  

2016/11/25

Um jardim urbano multi-sensorial - Zighizaghi

Cada vez mais tomamos consciência de que as cidades devem acolher e proporcionar bem estar às pessoas. E é com essa visão que surge o Zighizaghi, um jardim urbano multi-sensorial com 320 m2, projeto de OFL Architects juntamente com a Milia Arredamenti e Farm Cultural Park. 

Favara é uma comunidade na Sicília, Itália, que recebeu esse equipamento urbano que é inspirado nas formas das colmeias e que se compõem de elementos horizontais e verticais:


  • Os primeiros são módulos de madeira que podem ser dispostos de variadas formas e que servem inclusive de apoio para sentar e conviver. 
  • Os verticais atuam como elementos dinâmicos. Seis elementos prismáticos em tom vermelho emitem músicas quando uma pessoa interage com sua estrutura e o som é ouvido através dos alto falantes no topo. 


A vegetação, especialmente selecionada para o local, é mantida por um sistema automático de regas. Árvores frutíferas, ervas aromáticas e flores complementam um espaço público que convida ao convívio.

Fotos / Giuseppe Guarneri e Riccio Blu






Leia também: Vamos reconquistar as cidades para nós?












(Via)
Nos siga também nas redes sociais


snapchat: arqsteinleitao  

2016/11/21

8 ideias de lavabos cheios de personalidade

Ideias diferentes para lavabos cheios de personalidade! E é justo nesse banheiro social que podemos ousar mais. É como se ele fosse um cartão de visitas da casa.

Leia também: Ideias para lavabo - o banheiro das visitas

Fonte
Um lavabo que parece de bar. Ótimo para gente descolada que adora um trago amigo. Papel de parede imitando tijolos, uma parede lousa com as bebidas prediletas e um balde de gelo como cuba. Show de bola. 

Leia também - Espelhos nos banheiros
Fonte
Reaproveitamento em proposta rústica. Uma mesa antiga com um velho balde complementada por uma torneira mais moderna.
Fonte
Um lavabo inusitado une uma proposta padrão, quebrada pela pintura escura e pela irreverência da composição de espelhos pequenos e usuais em um arranjo criativo.

Leia também: 9 ideias para usar molduras de forma criativa
Fonte
Uma proposta sofisticada com o uso de madeira é solução das arquitetas Gabriela Prado, Eliane Zogbi e Veridiana Tobar (Prado Zogbi Tobar Arquitetura )

Leia também: Belas bancadas de lavabo e detalhamentos
Fonte
Quando uma cuba diferente faz toda a diferença! Vale a garimpagem.

Leia também: Inspiração do dia - Cubas
Fonte
Um lavabo para expressar seu eu. Não é o que as pessoas adoram fazer nos banheiros? Que tal deixar um parede lousa e um monte de giz colorido para facilitar isso???
Fonte
 E esse lavabo modular que dá para comprar pronto (em Londres, ok!) e montar onde for mais apropriado. Mas dá para se ter uma inspiração e bolar algo parecido sem ter que viajar até lá, não é verdade?
Fonte
Projeto da arquiteta Lara Coceza com aproveitamento de objetos existentes. Uma mesa auxiliar com uma pintura marcante (e impermeável), um regador de jardim, uma torneira simples e eis um lavabo cheio de charme!

Nos siga também nas redes sociais


snapchat: arqsteinleitao  

2016/11/17

ARQUITETANDO RESPONDE - Salão de beleza sustentável

Volta e meia recebo algumas cartas que mobilizam questões que podem interessar mais pessoas. Já respondi sobre assentamento de moedas com uma postagem sobre vidro líquido. E eis que na minha caixa de entrada surge esse pedido:
Bom dia Elenara, tudo bem?
visitei sua página fiquei encantada com seus projetos, tenho um espaço bem pequeno em minha casa e gostaria de transformar esta área em um pequeno salão de beleza, quero algo sustentável, onde eu não invista muito na obra. vc poderia me dar alguma ideia? Obrigada. Quiteria
Ideias posso trocar contigo e quem sabe te clarear algum conceito que já esteja em tua mente. Sempre fazendo a ressalva que palpite não é projeto

Primeiramente a ideia de querer algo sustentável está muito em voga e é super louvável. E sempre é bom ter claro que sustentabilidade é muito mais atitude que simplesmente usar materiais descartados ou fazer móveis de paletes. É ter claro que podemos introduzir conceitos eco friendly na decoração de nossos espaços. Os passos mais básicos, que estão desenvolvidos no link acima podem ser resumidos em:

  • REUTILIZAÇÃO, RECICLAGEM E UPCYCLE
  • USO DE MATERIAIS LOCAIS
  • USO DE MATERIAIS NATURAIS, TECIDOS E FIBRAS
  • INSTALAR FONTES ENERGIA RENOVÁVEIS (veja AQUI um aquecedor solar de baixo custo)
  • Outras eco dicas podem ser lidas AQUI

Falando em português claro, você deve pensar no que você tem ou pode adquirir ao seu redor que possa ser reutilizado, reciclado ou transformado sem muito esforço. Utilizar mão de obra e materiais locais também é uma maneira de não gastar energia a mais que o necessário. Usar materiais que não agridam à natureza (tintas sem poluentes é uma dica).    

No teu caso, Quiteria, que quer usar uma peça de tua casa e transformar em um salão de beleza, já falas de dois condicionantes importantes: 

  • Espaço pequeno
  • Orçamento apertado 

Já tinha falado aqui no blog sobre dois salões de beleza que ficaram na sustentabilidade. Um que reaproveitou garrafas pet de maneira super criativa e outros que projetaram espaços de vaidade com muitos recursos que focam em um ambiente mais limpo.    

Não sei maiores detalhes do teu espaço, o que é fundamental para que um bom projeto resulte belo e funcional. E também desconheço o conceito que o teu salão terá: para quem é dirigido, faixa etária, proposta de trabalho, mais clássico, mais descolado. Esses detalhes são importantes e tu deves ter mais ou menos claro na hora de bolar o espaço.

Vais precisar, a grosso modo, de uma área de lavagem, uma de penteado, manicure (?) e sala de espera. Tem que ter espaço para armazenar material a ser usado e o material que vai ser descartado e o que vai ser higienizado. 

Algumas ideias posso te dar como inspiração:

Um exemplo de salão com proposta jovem e elegante. Fica na Europa e veja que usa materiais rústicos como o tijolo a vista recoberto com pintura preta. E essa mesma cor acompanha no piso. Os móveis são minimalistas, feitos em madeira clara de reaproveitamento.

NODO Studio
Dentro dessa linha mais limpa e leve, uma proposta bem enxuta e também elegante. Pintura clara, puxando para algum tom de cinza. Um espelho simples (eu colocaria na parede, colado com dupla face, para prevenir alguma queda ;)). Para armazenar, use cremalheiras achadas em lojas de construção com prateleiras. Este sistema é super prático e pode ser modificado em altura conforme a necessidade.  
Fonte
Outra proposta bacana para a área de penteados. Um cor forte (os azuis e os verdes mais neutros caem bem), uma prancha de material resistente e impermeável e espelhos. Nesse exemplo, a forma redonda garante a bossa da solução.
Fonte
Uma proposta em área doméstica que usa do recurso de fazer um módulo entre parede e forro. Pode ser revestido ou pintado. Sempre funciona para delimitar espaços de forma econômica.
Fonte
Cor. Se a proposta é fazer um salão mais feminino e/ou jovem, que tal apostar em um revestimento divertido para as cadeiras? E nichos forrados fazendo uma composição na parede? Uma dica: compre nichos prontos e forre com papel adesivo de várias cores e texturas.   
Fonte
Essa eu achei bem divertido. Fazer um espelho na entrada para os selfies. O espelho dá amplitude e os selfies já são uma propaganda do teu negócio. 
Fonte
Outra ideia interessante é usar esquadrias de demolição como suporte para espelhos.   
Fonte
Se tiver espaço para recepção, pode montar um balcão com paletes. Veja dicas de como usa-los AQUI.
Fonte
Outra ideia é usar móveis antigos. Se forem de família, melhor ainda. Ficam cheios de sustentabilidade afetiva.

Fonte
A área de armazenamento pode ser feita com cestos. 
Fonte
Aqui outro exemplo usando caixotes. Veja AQUI outros exemplos de como usar caixotes na decoração.
Fonte
E use e abuse da criatividade de reusar objetos do cotidiano com outra finalidade: As revistas podem ficar dispostas em cabides pendurados em ganchos. 
Fonte
Espero que a Quiteria tenha gostado. E você também. E se tiver alguma dúvida e quiser perguntar, me manda um email. Quem sabe sua resposta não venha em forma de postagem? 

Leia também :


Nos siga também nas redes sociais


snapchat: arqsteinleitao  

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More