Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2016/01/26

Arquitetura orgânica - botânica construtiva

Nesses nossos tempos de agora o que conta é o imediatismo. Sabem aquela descrição dos arianos (os de signo): quero e quero já? Pois é. Queremos tudo JÀ!

Não sabemos mais viver sem novidades, sem a maratona de séries, sem a ansiedade do que vem depois. E na Arquitetura? 

Imaginem uma construção que levará uns 50/60 anos para ficar pronta como foi imaginada pelo seu projetista. Parece coisa de catedral gótica que levava séculos para ser terminada. Quando eram... (vejam a Sagrada Família de Barcelona...)
Estou falando do que costumamos chamar de Arquitetura Viva. Uma das maneiras de fazer essas construções é usando elementos vivos que são moldados em formas planejadas durantes o seu crescimento. Um exemplo é a proposta deste workshop MIAW2 do Politecnico de Milão. Um lindo recanto florido que trabalha com a natureza e a paciência. Um obra que talvez muitos não vejam pronta, mas que ficará na lembrança como uma construção para o futuro.

Treinar a paciência me lembra um livro que li faz muitos anos: A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen. Faz parte do processo de se tornar um mestre entender que o caminho é talvez mais importante que a chegada. E assim a pressa é quase sempre inimiga da perfeição.

 A técnica Zen desafia a lógica ocidental que se prende ao pensamento lógico científico, aqui o que importa é o caminho até algo e não alcançar algo. O que nos muda é o caminho. Imagine uma lenda de uma água mágica e sagrada no alto de uma montanha muito alta e quase impossível de se escalar, aquele que se dispõe a fazer o trajeto da montanha, ao alcançar o topo já será outro e não o mesmo que começou a jornada, ai já não importa se a água é sagrada e tem poderes mágicos ou se vai te dar xistose (Fonte)
Assim também as pessoas que praticam essa experiência de "jardinagem arquitetônica paciente" sairão diferentes. E essa diferença em cada um pode ser o diferencial que compense não ver a obra pronta.

Há vários exemplos desse tipo de experiências. Desde triciclos que são feitos com o crescimento do bambu até propostas de casas vivas onde falei sobre as vantagens e desvantagens desse tipo de solução. 

Abaixo outros exemplos:


Fonte


Estrutura chamada Botany Building desenvolvida por Oliver Storz, Ferdinand Ludwig e Hannes Schwertfeger

Catedral Vegetal no Norte da Itália -  Projeto de Guiliano Mauri



The Auerworld Palace na Alemanha, projeto de Marcel Karberer e Sanfte Strukturen

Catedral Verde - Marinus Boezem

O tempo. Cada vez mais somos oprimidos pela necessidade de fazermos mais e mais rápido. Aquela historinha que me contavam quando pequena que no futuro teríamos tempo para o lazer parece que ficou no conto de fadas. Hoje trabalhamos em casa, estamos sempre conectados aos clientes, aos fornecedores, aos patrões. Nosso lazer é uma obrigação. Ser feliz é uma obrigação. E todos lá no fundo sabemos que nada sólido se constrói rapidamente. Por isso a lição da arquitetura orgânica me encanta.

Fontes das fotos : 
Dornob
Gizmodo
Andersberenssonarchitects

Gostou? Tem alguma sugestão? 


Comenta e conta para a gente a sua opinião. 
Nos siga também nas redes sociais

Comentários
0 Comentários

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More