Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2015/01/03

O vestido da posse e a sua casa: o que podem ter em comum?

Impressionante como as mulheres tendem a ser julgadas sempre pela aparência. Mesmo quando ocupam o cargo mais alto da nação. Impressionante como as próprias mulheres participam desse julgamento estético como se fosse primordial. 

Assistindo a posse da Dilma, é obvio que as mulheres em geral tenham uma natural curiosidade pela cor e estilo do vestido. Eu tive. Mas daí a transformar isso em um assunto foco como vi e (pasma!) por jornalistas que deveriam informar e debater assuntos mais relevantes... E mesmo que discutissem moda que, sim, é assunto relevante, porque indústria que movimenta milhões, deveriam informar quem assinou o traje e o que motivou a escolha. 

E sim, adoraria se a renda usada no traje fosse produto de um coletivo ou artesanato nacional que mostrasse o potencial do trabalhador brasileiro para o mundo. E sustentável de preferência. Demagogia? Não, pura propaganda de uma visão de governo. Uma boa fonte de pesquisa para jornalistas de plantão. 

Sempre defendi que as mulheres e homens que comandam a nação e ocupam cargos relevantes devam escolher estilistas nacionais. É um momento de holofote mundial e nada mais natural que vender a sua indústria. Ou querem coisa mais ridícula que uma primeira dama americana usando um modelo francês (Jackie O. Kennedy fazia isso...e não, as mulheres nunca foram presidentas nos EUA. Talvez Hilary, quem sabe) ou uma primeira dama ou presidenta brasileira vestindo um modelo americano, chinês ou o que o valha.

Nacionalismo é coisa do século passado? Estamos em uma época globalizada? História para boi dormir (ou para a vaca tossir). Moda é economia. E business nunca sai da moda. Em tempo a estilista do vestido da posse é Juliana Pereira. Abaixo uma de suas criações para a louça de um café. E já se nota a influência da renda.   
Fonte
Sim, porque mais que discutir se a presidenta é um padrão de beleza (o que não me parece ser exigido dos seus pares masculinos - e nem poderia, porque o que se espera é competência - ou a falta dela, para quem não concorda com as suas ideias e/ou atos), os comunicadores de plantão poderiam pelo menos falar sobre a escolha da renda e porque a Presidenta e a esposa do Vice Presidente estavam com trajes rendados. 

Há uma tendência que vem de um tempo atrás do uso da renda na moda e na decoração. Já falava disso em 2013, quando ligava a renda a um tempo de delicadeza.  

Delicadeza....talvez seja um forma de recompensar esses tempos mais cheios de rancor que vivemos na vida real....


Fonte
Como esse não é um blog político, embora a blogueira tenha posição e bem definida, não vou debater economia, segurança e nem educação - mormente tenha gostado muito do lema proposto ( herança pedetista, origem partidária da atual presidenta) de incrementar a educação (embora não saiba muito bem como isso vai acontecer na prática). Assim vou falar mais da escolha da renda e o que ela significa na vida cotidiana de nós, os que curtimos casa e adoramos enfeitá-la.
Fonte
A renda continua sim sendo tendência. Mas cautela! É preciso parcimônia no uso para que a nossa casa não fique parecendo um quarto de princesa. A ideia é usar a renda em detalhes e de modo harmonioso.
Fonte
Gosto do efeito da renda em contraste com móveis mais rústicos, ou mesmo com materiais reciclados.
Fonte
Outra forma bem moderna é usar os desenhos delicados em impressoras 3D por exemplo, gerando formatos inusitados em materiais mais tecnológicos. 
Fonte
Fonte
Escolher revestimentos que remetam às rendas delicadas pode ser outra escolha. Um lavabo fica muito elegante com elas. E adesivos podem gerar louças ou elementos de adorno muito bonitos. 
Fonte
Uma cadeira como essa, em contraste com uma decoração mais clean, pode dar um toque inusitado.

Fonte
Fonte
E finalmente voltando à moda, usar a renda como acessório me agrada demais. principalmente se for tecida à mão. 

E mais uma vez ressaltando, a indumentária que uma política usa em uma solenidade marcante é sinalizadora de algum recado, óbvio. Mas não é determinante para o futuro de uma nação. Não vi ninguém criticando a gravata rosa do Ministro da Fazenda, por exemplo. Seria um sinal de que o seu foco será um futuro auspicioso, um sinal de que sua linha está adquirindo uma tonalidade avermelhada, mas não por aí??? Ninguém faz isso porque seria ridículo. Tão ridículo quanto quando fazem com as mulheres. #Ficaadica   


Comentários
0 Comentários

0 Opiniões:

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More