Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2014/07/07

Bikini Berlin - uma inovação que vem da Alemanha

Cheguei ao Bikini Berlin pela referência de colegas. Os dois (Oscar Muller e Octavio Queiroz) falavam do declínio dos shopping centers nos USA. Um fenômeno interessante para nós, que chegamos mais tarde nesses centros do consumo. Aqui ainda é comum a construção dessas edificações, embora muitas passem pela rotatividade imensa de pequenas lojas. Mas falar que já se saturou um ciclo, creio ser ainda prematuro. Ainda os shoppings são considerados locais de lazer, as ruas onde é seguro andar e passear. E foi aí que o Bikini Berlin entrou na roda. O Octa, um arquiteto super antenado nas novidades, o nominou como uma novidade em termos de locais de compras. E lá fui eu a pesquisar o que seria esse tal de Bikini Berlin.


Fonte
Em primeiro lugar ele NÃO é um prédio novo e sim o reaproveitamento de construções do período pós guerra. E ele foi concebido para ser uma combinação de de local de compras, de trabalho, de cinema, de recreação, hotel e ainda um local para curtir os belos locais do entorno. Não é pouco para uma concepção de setorização que até pouco tempo atrás aparecia em nossas cidades. 

Um dos edifícios, o Bikinihaus, deu nome ao centro moderno. Na época em que foi construído, a sua forma que separava uma área superior e outra inferior lembrou aos habitantes da cidade aquele tipo de maiô que causava furor (e cuja origem foi um teste nuclear no atol de Bikini).



O que diferencia o Bikini Berlin dos centros mais tradicionais? Por enquanto, segundo o site, o fato de reunir uma cuidadosa curadoria na escolha das lojas e ofertas ao público, algumas passando longe das tradicionais lojas âncora dos nossos shoppings. Além disso a proposta levou a espaços mais despojados e descolados. Um exemplo pode ser visto no hotel existente ali. Leiam AQUI sobre ele. Um terraço imenso atrás do Bikinihaus, a piscina abaixo dele, as lojas módulos com cinco tamanhos entre 19 e 39 m2, permitem uma grande flexibilidade de usos aliados a um relativo baixo custo de uso.  
Fonte


Fonte

Fonte

Fonte

Fonte
Fonte


Se este é um conceito novo, se vai dar certo e bombar comercialmente e poder se manter, só o tempo dirá. Mas é um espaço para lá de interessante e bem mais rico que os saturados shopping centers com a sua visão de confinamento. Esse tipo de centro de compras e convivência parece carregar bem mais vida em seus espaços.


Vejam mais fotos do Bikini Berlin AQUI

Comentários
2 Comentários

2 Opiniões:

Estou planejando ir pra Berlin hora dessas - vai pra lista pré-roteiro...! Muito interessante. Eu gosto de shoppings - pelas razões q mencionas - mas confesso que ando saturada da mesmice. Aqui, São Paulo, Brasília, qq lugar do Brasil, são exatamente iguais. Pouquíssimas "atrações" locais. E no exterior, tb um percentual q é igual - com a vantagem de se encontrar o mesmo produto (às vezes uma leitura um pouco diversa) em preços mais competitivos...! Abs.

Eu não sou uma usuária de shoppings, compro em lojas de bairro e raramente vou num desses centros de compras. E quando vou, é na segunda pela manhã. E realmente seria muito bom se tivéssemos uma renovação em espaços que oferecessem mais atrações e coisas diferentes, não é verdade? Abraços

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More