Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2013/06/17

Implodir símbolos, sim ou não?

Maracanã - antes e depois
Estamos a um ano da Copa. Muitas obras, muitos gastos. Muitos empregos e oportunidades de negócios. Muitos contra, muitos a favor. Não vou me deter aqui nessas polêmicas. Vou lembrar de outra.

Nessa hora faço um exercício de memória e me lembro da polêmica em torno da implosão ou não do Maracanã. Várias pessoas defendiam que seria mais econômico destruir e fazer outro estádio, mais moderno. Vejam AQUI.

Eu, em principio era contra. Apesar de concordar que uma obra nova é mais barata (em principio) que uma reforma. Mas existem outros critérios e em 2001 eu já manifestava minha opinião sobre isso:

Um dos motivos porque não sou a favor da implosão de prédios em condições de uso estrutural é justamente o fato de ser muito delicado definir o que é relevante e significativo para uma sociedade. Quem define os critérios do que é ser relevante ou significativo ? Para qual sociedade ? E mais importante, para qual parcela de sociedade. Só para citar dois exemplos: O Partenon em Atenas foi transformado em depósito de munição e quase foi totalmente destruído, talvez por não ser considerado relevante e significativo para uma determinada sociedade, em determinada época. E as estátuas de Buda foram destruídas pelos talibãs por não serem consideradas relevantes e significativas para quem detém poder atualmente naquela sociedade. Então os conceitos de relevância e significância são muito relativos e dependem da cultura e da época em que se vive. Tanto a Torre Eiffel como o Centro Pompidou em Paris foram considerados aberrações, e muita gente sugeriu a sua demolição...E no entanto eles se tornaram emblemáticos com o passar dos tempos


A nossa relação de amor/ódio com futebol passam muito pelo trauma de 1950, de perder uma Copa do Mundo em casa. O Maracanã representa, para o futebol, esse momento de definição. Não é a toa que esse país por muitos anos buscou no futebol a afirmação de sua grandeza. Ganhar uma Copa, a sexta, em casa, no mesmo palco será a confirmação dessa busca? Perder uma Copa em casa, no mesmo Maracanã, nos fará buscar mais e mais? Ser espectadores de um embate de outros, em nossa casa, nos fará mais adultos como sociedade? Talvez. Coisas que um símbolo traz em si. Para isso eles existem. E por isso permanecem.




PS:Óbvio que o Maracanã, para se adequar ao novo conceito das Arenas futebolísticas, foi praticamente reconstruido. Ainda existem muitos problemas para serem sanados até 2014. Mas que ele está majestoso, está.

Comentários
1 Comentários

1 Opiniões:

Ótima matéria, Elenara.
Realmente esse assunto é um ponto relevante a se pensar, pois sempre teremos casos onde o lado consumista e corporativo das organizações tentará de todas as formas empurrar projetos que tragam um retorno financeiros maior. Por outro lado, com uma olhar mais minimalista, teremos opiniões defendendo a preservação da maior parte de uma obra.
Partindo do exemplo do estádio, muitos não se atentam que não é apenas ele, mas uma obra desse porte envolve muito outros elementos, como por exemplo todo o tratamento externo dos ambientes para recepcionar o público.
Parabéns pelo blog e pela matéria. Caso tenha outras publicações sobre o tratamento de áreas externas, como o uso de piso intertravado por exemplo, me indique. Estou buscando informações mais aprofundadas sobre este tema.
Desde já meu muito obrigado!

Alessander
contato/site: http://www.artconpre.com.br/piso-intertravado.php

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More