6 de fev de 2012

Quem vê fachada, não imagina os fundos

Mais uma casa japonesa que reserva surpresas em seu espaço. O que faz uma economia de recursos em prol da criatividade. Minha mãe já dizia que arquiteto adora uma nesga de terreno, que aí sim, criam maravilhas e se enredam em terrenos muito grandes ou com muitos recursos. Talvez exagero dela, mas que muitos projetos japoneses seguem essa máxima, sem dúvida.


Quem vê a fachada minimalista não pode imaginar que os fundos estejam assim tão abertos para o exterior e assim garantir luminosidade, ventilação e beleza. Uma construção absolutamente simples, mas que guarda grande riqueza em espaços internos.


Dica do colega Massimo Castoldi





Dados
Localização: Seya, Yokohama

Arquitetos: Suppose Design Office
Projeto: 2009
Área: 57 m2