21 de ago de 2011

Para quem a sustentabilidade que tanto queremos ?

Já é tema de estudo a gentileza urbana. As pequenas atenções e gestos que fazem com que a vida nas cidades e entre as pessoas seja mais civilizada ...e gostosa. Porque se fala tanto em sustentabilidade, em como não agredir a natureza e manter vivo o planeta e pouco se discute a sustentabilidade das relações humanas. 


GentilezaQuando saio na rua e não respeito faixas de segurança e nem placas de PARE. Quando jogo fora meu lixo na rua, quando não uso as palavrinhas mágicas: por favor, obrigada, desculpe, por obséquio (essas aprendi com o meu pai). ou mesmo quando sou toda verde por fora, mas não trato as pessoas com o mesmo respeito com que trato as questões ambientais. Quando me preocupo mais com o ambiente do que com quem vai morar nele.

Sustentabilidade também inclui gentileza urbana e privada. E essa se faz de presença, de gestos de carinho. De desligar das redes sociais e dos amigos virtuais e conviver com a família real e os amigos de carne e osso. De curtir momentos como os que vivi hoje, de ouvir meu pai de 90 anos ler um capítulo de um livro sobre Gentileza, arte da qual é mestre, e ficarmos comentando, como nas velhas rodas de leitura que minha mãe conta ter existido em sua casa quando pequena. E na nossa também. Todos ao redor de uma mesa, ou de uma cadeira escutando fascinados a leitura de um livro e imaginando aquele universo que ali se desenrolava.


E então nos perguntamos: onde estão esses momentos de gentileza diários ? Para quem a sustentabilidade que tanto queremos ?